Mercado fechado

GPU dedicada da Intel, Xe Max será mais focada em IA, não em games

Wagner Wakka
·3 minuto de leitura

A Intel apresentou sua primeira placa de vídeo dedicada, sob o nome Xe Max. O produto deve se posicionar na faixa das placas MX350 da Nvidia, como modelos de entrada para notebooks. Porém, embora apresente bom desempenho em games, o foco será em inteligência artificial.

Segundo a Intel, por enquanto as GPUs vão aparecer somente em laptops equipados com com processadores Tiger Lake de 11ª geração. Isso quer dizer que elas só serão compatíveis com os processadores mais recentes da marca. Isso porque a expectativa é que as Xe Max sejam um complemento (não independente) às Iris Xe, a GPU integrada dessa geração de processadores. O foco seria em trabalhos de machine learning e produção de conteúdos e vídeo, com menos direcionamento para games.

A GPU chega com 96 unidades de execução (EU), clock de 1,65 GHz e 4GB de memória LPDDR4X. Todos são componentes semelhantes usados pelas GPUs integradas da família Tiger Lake de 11ª geração.

A junção das GPUs integrada e dedicadas deve acontecer por um sistema chamado “additive AI”. Com isso, as cargas de trabalho poderiam ser feitas separadamente para cada uma das GPUs em diferentes espaços de memória de acordo com a demanda. Caso seja necessário, as duas também trabalharão juntas em uma função que exija mais capacidade gráfica, sem que o usuário precise fazer este gerenciamento manualmente.

Para mostrar seu foco em inteligência artificial, a empresa fez uma demonstração com o Topaz Gigapixel AI. A ferramenta permite transformar uma foto granulada em uma imagem com boa definição (algo como aqueles filtros de série como CSI). Por inteligência artificial, o sistema consegue inferir os pixels faltantes e criar uma imagem próxima à realidade com boa definição.

O objetivo aqui foi comparar dois aparelhos fazendo a mesma função, sendo que um usando uma Xe Max e outro uma MX350, da Nvidia. Segundo a apresentação, a GPU da Intel fez o mesmo trabalho sete vezes mais rápido. Ainda, foi cinco vezes mais veloz que uma GTX 1650 e até 1,2 vez mais rápida que a Iris Xe sozinha (ou seja, só com a GPU integrada).

E para games? 

Como explicado pela empresa, as placas Xe Max não devem ser exatamente um componente voltado para jogos. Nos resultados apresentados, há pouca melhoria em se tratando de jogos.

Por exemplo, nos testes somente com a Iris Xe e em conjunto com a Xe Max rodando Metro Exodus e DOTA 2, houve melhoria de apenas 7 FPS. Isso poderia fazer com que o aparelho seja muito caro para o mercado de games, principalmente na faixa de 1080p e 30 FPS, com melhoria tão baixa de desempenho.

<em>Comparativo de desempenho em fps com Xe Max (Foto: Divulgação/Intel)</em>
Comparativo de desempenho em fps com Xe Max (Foto: Divulgação/Intel)

A Xe Max é feita sob o chipset DG1, posicionando-se como a primeira geração das GPUs dedicadas da Intel. Contudo, já há rumores de que a companhia está trabalhando no DG2, aqui sim com foco em games, mas com previsão de lançamento apenas para 2021.

A expectativa é de que a Xe Max apareça em breve em modelos Flip TP470, da Asus; e Inspiron 15 7000 2-in-1, da Dell; além do Swift 3x da Acer, a ser lançado apenas no mercado chinês.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: