Mercado fechará em 8 mins
  • BOVESPA

    107.805,16
    +247,48 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.841,24
    -77,04 (-0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,67
    +0,62 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.785,90
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    50.575,75
    -506,67 (-0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.318,72
    +13,60 (+1,04%)
     
  • S&P500

    4.694,25
    +7,50 (+0,16%)
     
  • DOW JONES

    35.671,39
    -48,04 (-0,13%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.360,50
    +42,50 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2858
    -0,0539 (-0,85%)
     

Governos deliberam sobre o Fundo de US$ 5 bilhões destinado à Pesquisa e Desenvolvimento da International Chamber of Shipping, com o propósito de acelerar o transporte marítimo sem emissão de carbono no primeiro parâmetro dos compromissos da COP26

·4 min de leitura

LONDON, November 22, 2021--(BUSINESS WIRE)--Uma semana após Glasgow, 174 entidades governamentais se reunirão esta semana na International Maritime Organization (IMO), em Londres, para abordar os prementes desafios de redução de emissão de carbono associados ao transporte marítimo internacional, considerado pelo setor como o primeiro parâmetro dos compromissos governamentais de descarbonização decorrentes da COP26.

Durante uma reunião importante da Marine Environment Protection Committee (MEPC), organizada pela autoridade reguladora da ONU da indústria de transporte marítimo global, será decidido o aval do Fundo de US$ 5 bilhões destinado à Pesquisa e Desenvolvimento, o "IMO Maritime Research Fund (IMRF)".

O fundo, que será totalmente custeado pelo setor, sem qualquer custo a governos e aos contribuintes, será destinado a acelerar o rápido crescimento de Níveis de Maturidade Tecnológica (TRL, na sigla em inglês) e garantir, assim, o uso de combustíveis sustentáveis em grandes transportes marítimos.

Se aprovado, o fundo será implementado em 2023, com o potencial de agregar diversas embarcações sem emissão de carbono em rota marítima até o ano de 2030, tornando o envio zero carbono uma realidade até 2050.

Segundo Esben Poulsson, Presidente da ICS, "se os governos não apoiam o IMRF, devemos nos perguntar... por quê?"

"É uma decisão óbvia. Algo que os governos aceitariam de braços abertos e, assim, enviariam uma clara mensagem ao mundo de que estão determinados a concretizar suas metas climáticas."

O IMRF foi proposto inicialmente em 2019 e hoje já conta com o apoio de grandes nações de transporte marítimo, como Dinamarca, Grécia, Japão, Panamá, Singapura e Reino Unido, além de países em desenvolvimento, como Libéria, Nigéria e Palau, que, juntos, representam a maioria do transporte marítimo global.

O fundo demanda, no entanto, aprovação regulatória pela maioria dos governos que compõem o MEPC para que o sistema de contribuição compulsória de Pesquisa e Desenvolvimento seja aprovado, o qual será subsidiado pelo recolhimento de US$ 2 por tonelada de combustível marítimo consumido por embarcações que comercializam no mercado internacional.

Guy Platten, Secretário Geral da ICS, afirma que "este é o primeiro parâmetro dos compromissos governamentais destinados à descarbonização desde a COP26

"Graças ao fundo de US$ 5 bilhões destinado à Pesquisa e Desenvolvimento, as entidades governamentais têm a chance de comprovar o significado das suas declarações e de que estão determinados à transição a um setor livre de emissão de carbono.

"Durante a COP26, governos anunciaram diversos planos, mas precisamos de tecnologias sustentáveis para que essas promessas se tornem realidade. Acima de tudo, deve ser algo para todos, e não apenas para uma minoria, como estabelecido pelo Fundo de Pesquisa e Desenvolvimento."

Apesar dos pedidos generalizados de descarbonização completa do transporte marítimo global até 2050, uma meta que o setor apoia totalmente, a ICS teme que algumas entidades governamentais imponham obstáculos processuais à implantação de um fundo voltado à Pesquisa e Desenvolvimento. Tal fato se deve à apreensão de que uma ação cooperativa, que beneficie iniciativas globais de redução de CO2, possa impactar negativamente os interesses nacionais ou regionais dos governos. Uma análise abrangente sobre o impacto foi realizada de forma a aplacar essas preocupações. Conforme observado, os efeitos negativos serão praticamente nulos para as economias nacionais.

---FIM---

Nota aos editores

Estatísticas

a. Os números da IEA de Pesquisa e Desenvolvimento do setor privado marítimo apontam uma queda de gastos de US$ 2,7 bilhões em 2017 para US$ 1,6 bilhão em 2019.

b. Segundo relatório de Ricardo, são necessários mais de 260 projetos de Pesquisa e Desenvolvimento, com um custo total de cerca de US$ 5 bilhões, para superar os principais desafios técnicos associados ao uso de novos combustíveis.

Sobre a ICS

A International Chamber of Shipping (ICS) é a principal associação comercial internacional voltada a operadores e armadores de comércio, representando todos os setores e comércios e mais de 80% da frota comercial global.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Ver a versão original em businesswire.com: https://www.businesswire.com/news/home/20211121005009/pt/

Contacts

Media Contact:
Duncan Bray
Tel.: +44 (0) 7972 224445
Email: ICS@woodrowcommunications.com

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos