Mercado fechará em 35 mins
  • BOVESPA

    100.079,23
    -937,73 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.054,16
    -191,70 (-0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,65
    +1,09 (+2,83%)
     
  • OURO

    1.911,00
    +5,30 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    13.646,55
    +539,31 (+4,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,65
    +9,36 (+3,58%)
     
  • S&P500

    3.399,18
    -1,79 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    27.554,28
    -131,10 (-0,47%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.577,75
    +85,50 (+0,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6980
    +0,0575 (+0,87%)
     

Governo vai propor revisão de monopólio dos Correios nas próximas semanas, diz secretária de Guedes

FÁBIO PUPO
·2 minutos de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP - 23.04.2013 - Fachada de loja dos Correios na da Consolacao, 1131, que pode estar infringindo a Lei Cidade Limpa.(Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP - 23.04.2013 - Fachada de loja dos Correios na da Consolacao, 1131, que pode estar infringindo a Lei Cidade Limpa.(Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

A secretária especial do PPI (Programa de Parcerias de Investimento) do Ministério da Economia, Martha Seillier, afirmou que o governo deve enviar nas próximas semanas ao Congresso um projeto de lei para rever o monopólio dos Correios no serviço postal.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo ela, o objetivo é liberar empresas privadas a prestarem o serviço após uma regulamentação do tema. "Precisa da regulamentação do monopólio postal, previsto na Constituição", disse em evento virtual promovido pelo banco Santander.

Leia também

Seillier diz que o Ministério da Economia conversa com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, sobre o tema. "O governo está trabalhando para encaminhar ao Congresso uma regulamentação sobre como o serviço pode ser prestado por um parceiro privado ou alguns parceiros privados, [para] garantir a universalização do serviço e a modicidade das tarifas no âmbito da prestação privada", disse.

Ela afirmou que o objetivo da equipe econômica é avançar em privatizações, e que para isso vai precisar de um diálogo amplo com o Congresso. Um exemplo é a Eletrobras. O governo quer abrir mão do controle da empresa.

Outras empresas também demandam de aval dos parlamentares para serem vendidas, como é o caso do Banco do Brasil e da Caixa. A eventual privatização da PPSA, estatal que representa a União na administração dos contratos de partilha do pré-sal, também demandará medidas legislativas.

Para ela, mesmo privatizações que não precisam de aval do Congresso demandam uma série de medidas. "É um processo rápido? Não é, nunca foi e nunca será, mas é factível", disse.

A secretária ainda defendeu o governo de críticas sobre a demora nas privatizações, acentuadas por declarações de Salim Mattar, ex-secretário de Desestatização do Ministério que afirma que as vendas não foram adiante por falta de vontade política do "establishment".

Colegas de Mattar, no entanto, diziam que a postura do secretário com seu pouco jogo de cintura atrapalhava o processo.

"Falar que não é prioridade do governo a agenda privatizações é olhar de maneira míope o processo que está ocorrendo de forma impressionante. Cada vez que uma empresa é incluída no plano de desestatização, começa a ter uma série de consequências, críticas, questionamentos. A gente vê no Congresso uma série de decretos legislativos tentando impedir", disse a secretária.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube