Mercado fechado

Governo vai apresentar política do salário mínimo sem reajuste real, diz secretário

BERNARDO CARAM E FÁBIO PUPO
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 28.06.2019 - Waldery Rodrigues Junior, secretário especial de Fazenda, pasta do Ministério da Economia responsável pelo orçamento, pelo Tesouro Nacional e por avaliações de política econômica, durante entrevista à Folha em seu gabinete em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou nesta quinta-feira (23) que o governo apresentará ao Congresso um projeto de lei para alterar a forma de cálculo do salário mínimo. A proposta, segundo ele, não deve prever reajustes acima da inflação.

Em conversa com jornalistas, o secretário afirmou que o Executivo vai propor que o piso salarial do país seja calculado levando em conta a inflação de dezembro de um ano até novembro do ano seguinte.

Hoje, o cálculo considera a inflação de janeiro a dezembro. Essa metodologia gerou problemas para a efetivação do reajuste neste ano, o primeiro após o fim da política de aumento real do salário mínimo.

"Temos que ter transparência, cautela e manter o que a Constituição diz, que é obrigatório manter o poder aquisitivo do salário mínimo", disse.

Questionado sobre a possibilidade de o projeto prever exatamente o reajuste pela inflação ou se permitirá aumentos maiores, respondeu:

"Em principio, nós vamos manter o poder aquisitivo até a inflação", afirmou.