Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.302,89
    +284,61 (+0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Governo vê suprimento de energia mais seguro no Amapá após novo transformador

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério de Minas e Energia informou nesta quarta-feira que o fornecimento de eletricidade no Amapá ganhou um reforço em termos de confiabilidade após a energização durante a madrugada de um novo transformador em uma subestação local.

O Estado da região Norte enfrentou um blecaute de longa duração no mês passado, depois que um incêndio na subestação Macapá danificou equipamentos. O Amapá chegou a operar com apenas 10% da carga na sequência de um apagão em 3 de novembro, enquanto o suprimento foi totalmente normalizado no dia 24.

"A subestação retorna à condição de 3 transformadores disponíveis à operação do sistema elétrico", afirmou o ministério em nota, ao destacar que o equipamento traz "mais confiabilidade" à região.

A pasta criou um gabinete de crise para acompanhar a situação do Estado depois do blecaute, e segundo o ministério ainda há ações previstas para melhorar a oferta de energia local.

Segundo a pasta, serão mantidas tratativas em 2021 para ampliação da capacidade eletroenergética da subestação dos atuais 350 MVA para 450 MVA.

Em paralelo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem conduzido um processo de fiscalização para apurar responsabilidades pelo blecaute, que chegou a levar o Amapá a decretar estado de emergência.

(Por Luciano Costa)