Mercado abrirá em 2 h 27 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,71
    +0,07 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.725,10
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    49.066,61
    +1.853,74 (+3,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    986,20
    -0,45 (-0,05%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.618,48
    +29,95 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    29.095,86
    -356,71 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    29.408,17
    -255,33 (-0,86%)
     
  • NASDAQ

    13.211,25
    -68,50 (-0,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7721
    -0,0235 (-0,35%)
     

Governo Trump declara "genocídio" sobre repressão da China contra os uigures

Humeyra Pamuk
·1 minuto de leitura
Pessoas da etnia uigure protestam contra a China em Istambul

Por Humeyra Pamuk

WASHINGTON (Reuters) - O governo Trump definiu que a China tem cometido "genocídio e crimes contra a humanidade" ao reprimir os muçulmanos uigures na região de Xinjiang, disse o secretário de Estado, Mike Pompeo, na terça-feira, impondo um revés a Pequim um dia antes da posse do democrata Joe Biden na Presidência dos EUA.

Pompeo afirmou que tomou a decisão --que certamente prejudicará ainda mais os laços já desgastados entre as principais economias do mundo-- "após uma análise cuidadosa dos fatos disponíveis", acusando o Partido Comunista Chinês de crimes contra a humanidade contra os uigures e outras minorias muçulmanas desde pelo menos março de 2017.

"Acredito que esse genocídio está em andamento e que estamos testemunhando a tentativa sistemática de destruir os uigures pelo partido-estado chinês", disse Pompeo em um comunicado.

A China tem sido amplamente condenada por seus complexos de Xinjiang, que descreve como "centros de treinamento vocacional" para erradicar o extremismo e dar às pessoas novas habilidades, e que outros chamam de campos de concentração. A China nega acusações de abuso.

A rara resolução dos EUA ocorre após intenso debate interno depois que o Congresso aprovou legislação em 27 de dezembro exigindo que o governo dos EUA definisse em 90 dias se o trabalho forçado ou outros supostos crimes contra os uigures e outras minorias muçulmanas são crimes contra a humanidade ou um genocídio.

A embaixada da China em Washington não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.