Governo trabalha com cumprimento da meta fiscal, diz BC

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Carlos Hamilton de Araújo, disse nesta quinta-feira que o cenário com o qual a autoridade monetária trabalha contempla o cumprimento da meta fiscal em 2012 e 2013. No entanto, neste ano a meta será fechada com ajuste. Já para 2013, diz o diretor, a meta de superávit primário, de 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB), será atingida sem a necessidade de ajustes.

Sobre a economia internacional, o diretor disse que o BC vê menos riscos de ocorrências de eventos extremos em decorrência de medidas adotadas pelos bancos centrais americano e europeu.

Crédito

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Carlos Hamilton de Araújo, acaba de prever que as operações de crédito deverão encerrar este ano com um crescimento de 16%. Segundo ele, o crédito tem avançado a taxas superiores às do Produto Interno Brasileiro (PIB) nominal e que o crédito continua com espaço para se manter como a alavanca do crescimento.

Inflação

Ao abrir sua apresentação do Boletim Regional de Economia para o trimestre encerrado em agosto, Carlos Hamilton ressaltou a busca pela ampliação da transparência da autoridade monetária na divulgação de seus dados. Ele voltou a ressaltar que a inflação convergirá para o centro da meta em 2013, mas de forma não linear.

Lembrou ainda que nos últimos oito anos a autoridade monetária entregou a inflação na meta e reforçou a importância do regime de metas inflacionárias, adotado no Brasil em 2009. "Neste período, o regime de metas foi submetido a testes de estresses e foi aprovado com louvor", destacou. Carlos Hamilton participou do I Encontro Pernambucano de Economia, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Carregando...