Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.922,16
    +1.127,83 (+3,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Governo do RJ concede licença para operação de térmica a gás no Porto do Açu

·1 minuto de leitura
Vista da área onde está localizado o Porto do Açu, no Rio de Janeiro, ainda durante período de construção

SÃO PAULO (Reuters) - O governo do Rio de Janeiro concedeu nesta terça-feira licença para operação de uma usina termelétrica a gás natural no Porto do Açu, no norte do Estado, que possui capacidade instalada de 1,34 gigawatts (GW) e deve iniciar atuação comercial no primeiro semestre de 2021.

A usina, denominada UTE GNA I, é operada pela Gás Natural Açu, que possui como acionistas Prumo Logística, BP e Siemens. Ela faz parte de um parque elétrico que contará com duas térmicas a gás --em conjunto, os ativos atingirão 3 GW de capacidade instalada.

"Estamos muito felizes com a obtenção da licença de operação do nosso primeiro projeto. Por conta da pandemia, as obras foram suspensas quando tínhamos mais de 5 mil trabalhadores e conseguimos retomar com muita responsabilidade, segurança e sem acidentes", disse em nota o diretor de Regulação da GNA, Guilherme Penteado.

"Estamos ansiosos para 2021, quando iniciaremos as obras da GNA II, que vai empregar também mais de 5 mil pessoas", acrescentou.

A licença concedida pelo governo fluminense prevê que a operação da usina seja feita a partir da dessalinização da água do mar, para reduzir o impacto ambiental.

A GNA também tem autorização para, no futuro, dobrar a capacidade instalada do parque termelétrico.

Com investimento de 10 bilhões de reais, o projeto total engloba ainda um terminal de regaseificação de gás natural liquefeito com capacidade para 21 milhões de metros cúbicos por dia.

(Por Gabriel Araujo)