Mercado fechará em 2 h 34 min
  • BOVESPA

    103.584,73
    +1.669,27 (+1,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.502,52
    +803,80 (+1,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,43
    +2,25 (+3,40%)
     
  • OURO

    1.787,70
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    58.936,12
    +1.850,64 (+3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.501,24
    +32,16 (+2,19%)
     
  • S&P500

    4.652,90
    +85,90 (+1,88%)
     
  • DOW JONES

    34.989,63
    +505,91 (+1,47%)
     
  • FTSE

    7.163,24
    +103,79 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.406,50
    +256,00 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3678
    -0,0022 (-0,03%)
     

Governo deixa vale-alimentação 'flexível'; entenda as novas normas trabalhistas

·3 min de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro hods his pen during the swearing-in ceremony of the Brazil's Tourism Minister Gilson Machado, amidst the Coronavirus (COVID - 19) pandemic at Planalto Palace on December 17, 2020 in Brasilia. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
Brazil's President Jair Bolsonaro hods his pen during the swearing-in ceremony of the Brazil's Tourism Minister Gilson Machado, amidst the Coronavirus (COVID - 19) pandemic at Planalto Palace on December 17, 2020 in Brasilia. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
  • Mudança reúne mais de mil decretos e portarias em quinze normas em marco regulatório;

  • Entre as grandes mudanças, está a flexibilização do vale-alimentação; 

  • Medida ainda não teve o texto final publicado pelo governo; 

O Governo Federal anunciou nesta quarta-feira (10) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), editou decreto para consolidar as disposições relativas à legislação trabalhista em um único ato normativo. Foram simplificadas em 15 normas, o conteúdo de mais de mil decretos, portarias e instruções normativas trabalhistas. Segundo o Ministério do Trabalho, a simplificação é resultado da primeira revisão completa desses textos.

Leia também:

Por outro lado, o texto final das alterações ainda não foi publicado pelo governo. Segundo o secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Dalcolmo, os 15 atos resultantes da revisão servirão de referência para aplicar toda a lei trabalhista vigente. De acordo com Dalcolmo, em entrevista publicada no jornal O Globo, esses atos normativos serão reexaminados a cada dois anos, com a intenção de aperfeiçoar ainda mais as regras.

Flexibilização do uso do vale-alimentação será uma das grandes mudanças

Dentre as principais normas revisadas, estão assuntos como: carteira de trabalho, aprendizagem profissional, gratificação natalina, programa de alimentação, programa e alimentação do trabalhador, registro eletrônico de ponto, registro sindical e profissional e outras questões ligadas à fiscalização do trabalho.

Porém, uma das mudanças mais efetivas na vida do trabalhador será a flexibilização do uso do vale-alimentação. De acordo com o secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Dalcolmo, a mudança no vale-alimentação possibilitará que os trabalhadores utilizem seus cartões em um número maiores de restaurantes:

Segundo Dalcolmo, "O vale é sempre uma decisão da empresa com o trabalhador. Então nada disso interfere. Mas alguns dispositivos serão alterados ao longo do tempo. Há um período de adaptação de 18 meses e, ao longo desse período, as empresas vão se adaptar a uma maior concorrência e uma necessidade de ofertar maiores opções de restaurantes para os trabalhadores", disse ao jornal O Globo.

De acordo com técnicos do governo, a flexibilização do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), no qual se insere o vale-alimentação, vai facilitar a vida dos empregados que terão mais liberdade para usar o cartão alimentação, que poderão usar o cartão em qualquer estabelecimento que receba esse meio de pagamento e não apenas nos credenciados pela respectiva bandeira. Também será possível fazer a portabilidade do crédito entre as diversas bandeiras.

O decreto dispõe que empresas vinculadas ao PAT continuarão com os incentivos fiscais, mas terão que executar um programa nutricional para seus empregados, e que serão fiscalizadas pelo Ministério do Trabalho, conforme explicou um técnico do governo ao jornal O Globo. O PAT determina que as empresas forneçam alimentação ao funcionário, via refeitório, restaurante interno ou com vales, que são fiscalizados e os funcionários, por exemplo, não podem usar estes recursos para pagar produtos em geral ou bebidas alcoólicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos