Mercado fechado

Governo quer enviar reformas ao Congresso antes do Carnaval

Matheus Schuch e Fabio Murakawa

Apesar do ceticismo dos parlamentares, governo acredita que é possível votar as reformas tributária e administrativa ainda neste ano O governo federal trabalha nos últimos ajustes das reformas tributária e administrativa para enviá-las ao Congresso antes do Carnaval. Interlocutores do Planalto ouvidos pelo Valor afirmam que, além da articulação política, a intenção é apresentar as propostas à sociedade por meio de campanhas de comunicação.

Apesar do ceticismo no Congresso, parte do governo acredita que é possível votar as duas reformas ainda neste ano.

O Planalto também aposta que poderá ganhar o apoio de parte da população se conseguir explicar por que quer simplificar os impostos e reformular as carreiras dos servidores públicos.

Ruy Baron/Valor

Nesta segunda-feira, na Índia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é preciso vencer a “guerra da informação” para evitar ruídos na proposta que mudará regras para o serviço público.

Auxiliares do presidente dizem que a estratégia será semelhante à da reforma da Previdência, em que peças publicitárias tentaram convencer a população de que era necessário mudar o sistema.

“A comunicação vai pesar muito. As pessoas precisam entender que as mudanças são apenas para o futuro e que isso será bom para todos”, comentou uma fonte do Planalto. “Na Previdência, funcionou muito bem”.

Para viabilizar a aprovação das reformas, o governo também já entendeu que terá de ceder em alguns pontos. Na reforma tributária, o projeto de lei do Executivo tratará apenas de tributos federais. Na administrativa, as mudanças deverão ser mais amenas do que o governo havia planejado inicialmente.