Mercado fechará em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    111.999,77
    +2.281,84 (+2,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.612,35
    +151,80 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,63
    -1,71 (-1,81%)
     
  • OURO

    1.816,20
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    23.997,04
    -174,02 (-0,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,42
    -0,86 (-0,15%)
     
  • S&P500

    4.258,61
    +51,34 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    33.625,65
    +288,98 (+0,87%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.511,75
    +200,50 (+1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2053
    -0,1184 (-2,22%)
     

Governo quer antecipar calendário de pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600

BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  27-06-2022 O ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Biló /Folhapress)
BRASÍLIA, DF, BRASIL, 27-06-2022 O ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Biló /Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo Jair Bolsonaro (PL) quer antecipar o cronograma de pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600 para a primeira quinzena de agosto e iniciar no dia 9 o repasse dos benefícios sociais previstos na PEC (proposta de emenda à Constituição) aprovada pelo Congresso.

No calendário atual, os depósitos do Auxílio Brasil são feitos conforme o final do NIS (Número de Identificação Social) do cidadão inscrito no CadÚnico (Cadastro Único). O pagamento turbinado estava previsto para começar entre os dias 18 e 31 de agosto.

Para caminhoneiros e taxistas, o Ministério do Trabalho e Previdência informou na sexta-feira (15) que prevê pagar duas parcelas dos auxílios também na primeira quinzena de agosto, dois meses antes das eleições.

O governo terá apenas cinco meses para concluir as transferências até o fim do ano, dados os trâmites de implementação de novos benefícios, que precisam de regulamentação federal além do pedido de crédito extraordinário (fora do teto de gastos).

Segundo a pasta, os dados dos caminhoneiros foram repassados pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) do Ministério da Infraestrutura e estão sendo checados para que os pagamentos do vale de R$ 1.000 sejam efetuados aos beneficiários.

A liberação do auxílio aos taxistas, por sua vez, depende de informações prestadas pelos 5.570 municípios brasileiros. De acordo com o Ministério do Trabalho, "haverá a solicitação aos municípios das bases de dados dos profissionais que estão com documentos de permissão para prestação do serviço pelo poder público municipal."

O valor destinado aos taxistas registrados até 31 de maio de 2022 ainda será definido, mas o Ministério da Cidadania fala, em seu site, que o benefício poderá ser de R$ 200. O limite da fatura estabelecido pela emenda constitucional é de R$ 2 bilhões.

Segundo o secretário especial adjunto do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Julio Alexandre, as novas versões do Auxílio Gás e Alimenta Brasil também podem ser pagas no início de agosto. Por serem benefícios já existentes, dependem somente da edição de MP (medida provisória) para a liberação de crédito extraordinário.

Em junho, 5,7 milhões de famílias de baixa renda receberam R$ 53, o equivalente a 50% do preço médio de um botijão de gás no país. A previsão é que sejam pagas três parcelas de R$ 120, em agosto, outubro e dezembro, já que o benefício é bimestral.

A emenda constitucional estabelece um adicional de R$ 500 milhões no orçamento do programa Alimenta Brasil, que financia a aquisição de alimentos de agricultores familiares para doação.

O custo total estimado do pacote de medidas, com duração prevista até dezembro deste ano, é de R$ 41,25 bilhões, acima dos R$ 38,75 bilhões sinalizados originalmente.

O pacote tem potencial de impulsionar a popularidade do presidente Jair Bolsonaro na disputa pelo Planalto com Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Atualmente, ele aparece em segundo lugar nas pesquisas.

Segundo o Datafolha de junho, Lula tem 19 pontos de vantagem sobre Bolsonaro, marcando 47% das intenções de voto no primeiro turno.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos