Mercado fechará em 6 h 42 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,56
    +0,09 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.894,30
    +3,60 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    22.702,28
    -485,91 (-2,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    522,92
    -13,97 (-2,60%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.943,10
    +57,93 (+0,73%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.684,00
    +138,75 (+1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5894
    +0,0220 (+0,40%)
     

Governo quer acelerar mudanças no Bolsa Família e pagar R$ 150 extras por criança em março

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, afirmou nesta quarta-feira (11) que o governo federal irá acelerar o recadastramento do Bolsa Família para garantir que em março as famílias com filhos de até seis anos possam receber o extra de R$ 150 por criança, que será somado ao piso de R$ 600 do programa.

"Em fevereiro, vamos ter as condições de já iniciar a entrada de pessoas que estão fora do Bolsa Família e a liberação dos cartões com o pagamento de R$ 150 com base nessa atualização cadastral", afirmou.

Segundo ele, a ideia é fazer o pagamento extra em março "para aqueles e aquelas que têm segurança na atualização do cadastro".

A afirmação do ministro segue a linha de discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disse que a agenda econômica deve seguir normalmente após apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) terem invadido e vandalizado as sedes dos Três Poderes no último domingo.

Inicialmente, o governo havia afirmado que o adicional de R$ 150 por criança, promessa de campanha de Lula, poderia demorar até 90 dias para começar a ser pago.

Dias também disse que a pasta encontrou 10 milhões de pessoas com "indícios de irregularidades" que deverão ser expulsos do programa quando o Cadastro Único de Programas Sociais for atualizado.

Em 5 de janeiro, Dias tinha afirmado que a revisão do Cadastro Único, a base de dados sobre beneficiários do Auxílio Brasil, que o governo já chama de Bolsa Família, deveria ser concluída em até três meses.

A atualização do cadastro, destacou, é essencial para liberação do benefício adicional de R$ 150. "É preciso ter um sinal técnico para termos segurança [para esse pagamento]", disse Dias na última quinta-feira (5), durante a posse da ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet.

Agora, porém, o cronograma foi acelerado. "Novo cartão a gente libera em fevereiro para pagamento em março já atualizado com R$ 150 para aqueles e aquelas que têm tem segurança na atualização do cadastro".