Mercado fechará em 3 h 40 min
  • BOVESPA

    113.631,50
    -76,26 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.366,98
    -367,06 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,98
    +1,87 (+2,12%)
     
  • OURO

    1.771,90
    -4,80 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    23.426,39
    +42,93 (+0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,89
    +1,16 (+0,21%)
     
  • S&P500

    4.281,55
    +7,51 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    33.944,09
    -36,23 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.552,00
    +58,75 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2504
    -0,0088 (-0,17%)
     

Governo publica regras para leilões de energia nova; solar fica fora do A-6

Planta de energia solar no Brasil. Fonte ficou fora do leilão A-6

SÃO PAULO (Reuters) -

O Ministério de Minas e Energia publicou nesta quarta-feira as regras para os leilões de energia A-5 e A-6 deste ano, voltados à contratação de novos projetos de geração.

Marcados para 16 de setembro, os certames visam viabilizar a implantação de usinas com início do fornecimento a partir de janeiro de 2027 e de 2028, respectivamente, com objetivo de atender à demanda das distribuidoras de energia, que suprem consumidores finais, principalmente residências e pequenos comércios.

Estes serão os primeiros leilões a contratar as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) previstas na Lei 14.182/2021, que permitiu a privatização da Eletrobras.

Segundo regramento publicado no Diário Oficial da União, 50% da demanda de energia declarada pelas distribuidoras deverá ser contratada em PCHs.

Além das pequenas hídricas, poderão participar do certame A-5 as fontes eólica, solar fotovoltaica, térmica movida a biomassa, carvão mineral nacional e a biogás, e projetos de recuperação de resíduos sólidos urbanos.

Já no caso do A-6, a energia solar ficou de fora, apesar dos pleitos de agentes do setor, como a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). A fonte é a que mais cresce atualmente no país, principalmente em projetos voltados para o mercado livre ou na modalidade de geração distribuída, devido à queda de custos e bons índices de irradiação solar.

Todas as outras tecnologias de geração foram contempladas no A-6 e mais as térmicas a gás natural.

Os leilões negociarão contratos regulados com prazos de 15 e 20 anos.

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), foram cadastrados para participar dos certames mais de 2 mil projetos, totalizando cerca de 115 gigawatts (GW) de oferta.

(Por Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos