Mercado fechará em 3 h 42 min
  • BOVESPA

    130.712,09
    +1.271,06 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.222,59
    -63,87 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,49
    +0,58 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.866,10
    -13,50 (-0,72%)
     
  • BTC-USD

    40.547,15
    +3.826,94 (+10,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.013,22
    +44,37 (+4,58%)
     
  • S&P500

    4.238,18
    -9,26 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    34.257,98
    -221,62 (-0,64%)
     
  • FTSE

    7.146,68
    +12,62 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.052,00
    +57,75 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1358
    -0,0568 (-0,92%)
     

Governo pode recorrer ao STF para garantir valor fixo do ICMS sobre combustível

·1 minuto de leitura
Preços dos combustíveis

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que pode entrar com uma ação Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar Estados a não reajustar o ICMS sobre combustíveis, depois de ter dito que estaria havendo aumentos desse imposto estadual após o governo ter congelado o PIS-Cofins, contribuições federais, sobre o diesel.

"A gente entrar com uma ação, acho que pode ser ADPF ou mandado de injunção, para a gente obrigar os governadores a dar um prazo para colocar um valor fixo de cada imposto estadual e não continuar como está aí", disse o presidente em sua live semanal.

Bolsonaro disse que o governo federal gastou 3 bilhões de reais para dar um "refresco", mas não adiantou. Ele se referia ao fato de o Executivo Federal ter zerado temporariamente o PIS-Cofins sobre o diesel.

O presidente admitiu que o projeto que visava regulamentar uma emenda da Constituição que prevê um valor fixo para impostos estaduais não deve ir para frente.

(Reportagem de Ricardo Brito)