Mercado fechará em 2 h 2 min
  • BOVESPA

    119.454,41
    -607,59 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.048,91
    +181,29 (+0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,33
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.780,90
    -12,20 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    53.551,90
    -2.252,07 (-4,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.253,38
    +10,33 (+0,83%)
     
  • S&P500

    4.130,67
    -42,75 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    33.764,62
    -372,69 (-1,09%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.783,50
    -135,75 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5674
    -0,1346 (-2,01%)
     

Governo peruano afirma que variante brasileira é maior causa de Covid em Lima

·1 minuto de leitura
(Fevereiro) Pessoas acampam na periferia de Lima enquanto aguardam abastecimento de oxigênio

A variante brasileira do novo coronavírus foi a causadora de 40% dos casos de Covid-19 registrados nos últimos meses em Lima, informou nesta quarta-feira o governo peruano, que enfrenta desde janeiro a segunda onda da pandemia.

"Um estudo permitiu identificar, através de amostragem em Lima, que a principal variante causadora da Covid é a brasileira", afirmou em entrevista coletiva o ministro da Saúde, Óscar Ugarte. "É necessário reforçar o cumprimento das medidas sanitárias."

Lima, que tem 10 milhões de habitantes, é a cidade peruana mais atingida pelo novo coronavírus, com hospitais lotados e filas para comprar oxigênio. O país soma mais de 1,4 milhão de infectados, dos quais 694.000 casos foram registrados em Lima, que também lidera o número de mortos, com 22.176 dos 50.474 registrados, segundo o Ministério da Saúde.

A variante brasileira foi detectada semanas atrás, em regiões amazônicas da fronteira, como Loreto. Brasil e Peru dividem 2.800 km de fronteira na Amazônia, e os voos entre os dois países foram suspensos pelo governo peruano em janeiro.

A vacinação avança lentamente no Peru, devido à falta de vacinas. Pouco mais de 210.000 pessoas receberam as duas doses.

cm/ljc/gm/lb