Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,70
    +0,49 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.433,46
    +39,55 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Governo mexicano e empresários chegam a um acordo para estabilização dos preços

Mercado no México (AFP/Pedro PARDO) (Pedro PARDO)

O governo do México anunciou, nesta quarta-feira (4), um acordo com produtores e empresários visando manter o preço dos alimentos da cesta básica e contribuir para controlar a inflação, que está em seu maior nível em duas décadas.

"Não se trata de controle dos preços, é um acordo, uma aliança para garantir que a cesta básica de alimentos tenha um preço justo", disse o presidente, Andrés Manuel López Obrador, em sua tradicional coletiva de imprensa matutina, à qual alguns empresários assistiram.

O acordo, que não é vinculante, não pressupõe uma fixação dos preços de referência por parte do Executivo, tampouco o controle do poder público sobre o valor dos produtos que são vendidos.

Em março, a inflação chegou a 7,45% no México, muito acima do objetivo do Banco do México, que é 3% anual +/- um ponto porcentual.

O secretário da Fazenda, Rogelio Ramírez de la O, disse que o objetivo do chamado "pacote contra a inflação e a carestia" é manter um preço estável de alimentos básicos durante seis meses. O acordo seria renovado, caso haja necessidade.

A cesta básica incide em 13% da inflação, a energia 10% e os impostos de serviços autorizados pelo governo com 4%, explicou o ministro.

O governo já subsidia os combustíveis com os excedentes do aumento de 40% do petróleo mexicano. Sem esta compensação, disse o secretário, a inflação seria de 10%.

O pacote apresentado contempla uma produção adicional de até 2,8 milhões de toneladas de grãos, principalmente milho, arroz e feijão.

Entre outras medidas para o setor agropecuário, serão distribuídos dois milhões de toneladas de fertilizantes, um produto duramente afetado pela guerra na Ucrânia, uma vez que a Rússia é um dos maiores produtores mundiais desses insumos.

"Estas medidas são de oferta, de redução de custos. Não estamos influenciando programas de controle de preços", disse Ramírez de la O.

O governo também reforçará a segurança das estradas para evitar o roubo de cargas de alimentos e não aumentará pedágios ou tarifas do transporte ferroviário.

Na apresentação, as autoridades anunciaram que a telefônica Telmex, do magnata Carlos Slim, não aumentará as contas de telefonia e internet por um ano.

A economia mexicana, fortemente atingida pela pandemia, desabou em 8,4% em 2020. Em 2021, cresceu 5%, mas este ano as expectativas de crescimento do governo têm sido reduzidas para 3,4% por influência da guerra na Ucrânia.

O Banco do México, que trabalha com uma expansão de 2,4% para 2022, tem seguido uma política de aumento na taxa de juros, que estacionou em 6,5%, para combater a inflação.

sem/mr/gf/dd

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos