Mercado abrirá em 3 h 20 min

Governo leva diplomatas estrangeiros ao Amazonas semana que vem para tentar reverter imagem negativa

·2 minuto de leitura
.
.

BRASÍLIA (Reuters) - Na tentativa de reverter a imagem negativa da política ambiental do governo do presidente Jair Bolsonaro perante outros países, o Conselho Nacional da Amazônia Legal, comandado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, promoverá uma viagem na próxima semana com diplomatas estrangeiros à região.

De acordo com a assessoria de comunicação da Vice-Presidência, as cidades de Manaus, São Gabriel da Cachoeira e Maturacá, todas no Estado do Amazonas, serão visitadas entre os dias 4 e 6 de novembro.

A intenção, explica comunicado divulgado nesta quinta-feira, é mostrar "atividades de alguns ministérios que compõem o conselho, proporcionando aos embaixadores a oportunidade de conhecer a realidade amazônica e as ações implementadas pelo governo federal", tanto em áreas urbanas quanto em regiões remotas.

"A iniciativa tem por objetivo mostrar à comunidade nacional e internacional que a Amazônia brasileira continua preservada e que sua complexidade ambiental e humana não permite um entendimento genérico da região", disse a assessoria de comunicação da Vice-Presidência.

Nos meses de julho, agosto e setembro deste ano, o desmatamento ficou menor na comparação com os mesmos meses do ano passado, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mas permaneceram em patamares elevados se comparados aos de anos anteriores a 2019.

De janeiro a setembro deste ano, o desmatamento na Amazônia Legal somou 7.063 quilômetros quadrados, uma queda de 10,25% na comparação com os primeiros nove meses de 2019, mas ainda em patamar também bastante superior ao registrado entre 2015 e 2018, quando o maior acumulado em nove meses foi de 4.899 quilômetros quadrados registrados em 2016.

Na segunda-feira, o governo federal anunciou a prorrogação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Amazônia Legal, a chamada operação Verde Brasil, até abril do ano que vem. A GLO foi decretada em maio para tentar conter o desmatamento e as queimadas na região.

A viagem de novembro deve contar com representantes de missões diplomáticas da África do Sul, da Espanha, do Peru, da Colômbia, do Canadá, da Suécia, da Alemanha, da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), da União Européia, e do Reino Unido, além de chefes das missões da França e de Portugal.

A viagem também contará com a presença dos ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tereza Cristina (Agricultura), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Eduardo Pazuello (Saúde) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além de parlamentares.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)