Mercado abrirá em 2 h 53 min
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,12
    -0,40 (-0,46%)
     
  • OURO

    1.714,80
    -15,70 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    20.121,75
    +184,20 (+0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,95
    +10,52 (+2,36%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    6.985,77
    -100,69 (-1,42%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.520,75
    -120,00 (-1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1227
    -0,0452 (-0,87%)
     

Governo leiloa Congonhas e mais 14 aeroportos nesta quinta-feira

Congonhas

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal realiza nesta quinta-feira a sétima rodada de concessões de aeroportos, em um certame que inclui um dos terminais mais movimentados do país, Congonhas, na capital paulista.

A expectativa em torno do leilão, que deveria ter ocorrido no início do primeiro semestre mas acabou sendo remodelado após decisão do governo em retirar o terminal carioca de Santos Dumont da disputa, é de incerteza em torno da concorrência. Isso porque a CCR, tida como uma das principais interessadas no leilão, anunciou nesta semana que não iria participar poucos dias depois de dizer que o certame fazia parte de sua estratégia.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, os vencedores do leilão, que além de Congonhas inclui outros 14 aeroportos no Sudeste, Norte e Centro-Oeste, terão que investir pelo menos 7,3 bilhões de reais nos terminais ao longo de 30 anos de concessão.

O leilão foi dividido em três blocos. Um de aviação geral ou executiva, integrado pelos aeroportos de Campo de Marte (SP) e Jacarepaguá (RJ), com 560 milhões de reais em investimentos previstos.

O segundo bloco é formado pelos terminais aéreos de Belém (PA) e Macapá (AP), com 875 milhões de reais em investimentos programados; e o último é integrado pelos aeroportos de Congonhas (SP), Campo Grande (MS), Corumbá (MS), Ponta Porã (MS), Santarém (PA), Marabá (PA), Carajás (PA), Altamira (PA), Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Montes Claros (MG). O investimento previsto neste bloco é de 5,8 bilhões de reais, dos quais 3,3 bilhões apenas em Congonhas.

(Por Alberto Alerigi Jr.)