Mercado abrirá em 1 h 48 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,15
    -1,24 (-3,32%)
     
  • OURO

    1.876,70
    -2,50 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    13.164,81
    +1,42 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,37
    -12,32 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.602,07
    +19,27 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.249,00
    +116,25 (+1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7220
    -0,0124 (-0,18%)
     

Governo lança plataforma a bancos que quiserem antecipar recursos a fornecedores da União

Lu Aiko Otta
·2 minutos de leitura

Na plataforma AntecipaGov, as instituições terão acesso a contratos entre fornecedores e a administração pública federal, que atualmente somam R$ 56 bilhões Instituições financeiras interessadas em antecipar recursos a empresas fornecedoras do governo poderão se credenciar na plataforma AntecipaGov, informou nesta quinta-feira (1º de outubro) o Ministério da Economia. Lá, as instituições terão acesso a contratos entre fornecedores e a administração pública federal, que atualmente somam R$ 56 bilhões. O edital para credenciamento na plataforma foi publicado hoje no "Diário Oficial". A ferramenta, informa a pasta, “permitirá a antecipação de recursos a partir da cessão fiduciária de direitos de crédito entre fornecedores da administração pública federal e instituições financeiras credenciadas.” Dos contratos ativos e passíveis de terem recursos antecipados, um conjunto que soma perto de R$ 12 bilhões está distribuído entre 6.000 empresas com capital social de até R$ 5 milhões. “Acreditamos que a medida trará uma injeção de recursos na economia porque as compras públicas movimentam 12% do Produto Interno Bruto (PIB) do país”, disse por meio de nota o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia (SEDGG/ME), Caio Paes de Andrade. Só na esfera federal, são R$ 60 bilhões por ano, acrescentou. As instituições poderão fazer a antecipação de até 70% dos recebíveis previstos em contrato, segundo o ministério. A antecipação deverá estar disponível às empresas fornecedoras a partir do dia 22 de outubro. A antecipação não poderá ser solicitada por pessoas jurídicas declaradas inidôneas, que estejam sob falência ou incluídas na Lista de Inidôneos, mantida pelo Tribunal de Contas da União (TCU), informa a pasta. Também não poderão participar aquelas que estão no Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS), mantido pela Controladoria-Geral da União, ou no Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Atos de Improbidade Administrativa, mantido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A antecipação foi estabelecida pela Instrução Normativa 53, de julho passado.