Mercado abrirá em 2 h 16 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,92
    +1,35 (+2,06%)
     
  • OURO

    1.770,80
    -13,50 (-0,76%)
     
  • BTC-USD

    56.697,11
    -387,02 (-0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.444,87
    -24,21 (-1,65%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.127,58
    -41,10 (-0,57%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.957,00
    +87,25 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4085
    -0,0383 (-0,59%)
     

Governo lança desafio para incentivar contratação de startups por órgãos públicos

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Enap (Escola Nacional de Administração Pública), autarquia ligada ao Ministério da Economia, lançou nesta quinta-feira (11) uma chamada para gestores públicos que queiram apresentar problemas passíveis de serem resolvidos pelo setor de tecnologia e inovação.

Usando o Marco Legal das Startups -lei sancionada em junho deste ano que estabelece, entre outras coisas, procedimentos para contratação desse tipo de empresa pelo setor público-, a Enap quer incentivar órgãos a celebrar acordos do gênero e ajudar a dar mais segurança jurídica às partes envolvidas.

As inscrições podem ser feitas por órgãos do Executivo, Legislativo ou Judiciário federais e ficarão abertas até 5 de dezembro. Serão selecionados seis problemas, a serem resolvidos pelas startups escolhidas na segunda parte do projeto, no primeiro semestre de 2022. A responsabilidade da contratação das empresas será dos próprios órgãos que se inscreveram.

A novidade foi anunciada na Semana de Inovação 2021, evento de inovação no setor público. As inscrições devem ser feitas na plataforma de inovação Desafios.

"Existe aquela ideia de que o software está comendo o mundo. Ele está comendo o governo também", diz o presidente da Enap, Diogo Costa. "À medida que os governos vão se digitalizando, eles vão se aproximando das startups."

Há áreas em que o setor privado, especialmente o da inovação, se sai melhor, e por isso é importante incentivar que o Estado lance mão de parceiros quando precisar contar com certas habilidades, segundo Costa.

"O setor privado não tem as amarras burocráticas que o setor público precisa ter por estar lidando com dinheiro público. Por outro lado, as empresas privadas podem fracassar, ir a falência, então tomam riscos que o Estado não pode tomar", afirma.

A inspiração para a chamada foi o Challenge.Gov, iniciativa semelhante do governo americano. "Ele parte do princípio de que é preciso convidar a sociedade para ajudar na construção de soluções para problemas públicos. O nosso programa também parte dessa premissa", diz Costa.

A relação entre empresas de tecnologia e Estado nem sempre são tão colaborativas, e num momento aquecido do mercado de inovação, governos de todo o mundo tem enfrentado a pressão de grandes startups, como Uber e Airbnb, em relação à regulamentação.

Para Camila Medeiros, coordenadora-geral de gestão do conhecimento, tecnologia e prêmios da Enap, "esses programas que criam arenas de diálogo entre governo e mercado tendem a melhorar o entendimento entre as partes porque criam um ambiente mais seguro para experimentação".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos