Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,56
    -0,15 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.630,80
    -2,60 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    19.099,24
    +372,56 (+1,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,96
    +5,86 (+1,35%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.318,75
    +2,50 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1769
    +0,0793 (+1,56%)
     

Governo do Japão declara guerra aos disquetes e deve abolir fax em breve

Você provavelmente não deve se lembrar qual foi a última vez que você usou um disquete. Muito menos quando você precisou enviar um fax. Enquanto no Brasil e restante do mundo tais tecnologias extremamente populares nos anos 1980 já se tornaram obsoletas, o governo do Japão ainda utiliza esses itens no dia a dia em pleno 2022, e finalmente chegou a hora de deixá-los no passado.

Em coletiva realizada esta semana, o ministro de Assuntos Digitais do Japão Taro Kono anunciou que o país se prepara para abolir de vez equipamentos antigos.

Kono afirma que cerca de 1.900 procedimentos governamentais ainda exigem o uso de disquetes e CDs na comunidade empresarial e comunicou que "a Agência Digital está mudando esses regulamentos para que você possa realizá-los online".

O ministro destacou que também está querendo se livrar das máquinas de fax (fotocopiadoras) dada a dificuldade de utilizar o dispositivos em comparação com recursos atualizados.

Embora seja conhecido pela alta tecnologia e inovação eletrônica, o Japão ainda é um país conservador, com baixas taxas de alfabetização digital e alta burocracia, especialmente no âmbito governamental. Tudo isso dificulta a disseminação de tecnologias de última geração.

Disquete enfim deixará de ser utilizado no Japão em nível governamental (Imagem: Onur Buz/Unsplash)
Disquete enfim deixará de ser utilizado no Japão em nível governamental (Imagem: Onur Buz/Unsplash)

Outro caso que surpreendeu o mundo em relação aos japoneses e tecnologia aconteceu em 2018 quando o ministro de segurança cibernética admitiu que nunca utilizou um computador, deixando que tarefas digitais fossem feitas pela sua equipe.

Kono teve apoio do primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, e durante sua coletiva de imprensa brincou: "onde se compra um disquete hoje em dia?"

Deixados de fabricar em 2011, disquetes atigiram o ápice da popularidade entre os anos 1970 e 1990, sendo subsituídos gradativamente pelos CDs graças à maior capacidade de armazenamento e superior velocidade de leitura e escrita.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: