Mercado abrirá em 3 h 29 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,11
    -0,17 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.707,20
    -8,60 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    48.930,58
    -1.712,47 (-3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,01
    -5,20 (-0,53%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.622,68
    -52,79 (-0,79%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.626,00
    -55,75 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7699
    -0,0088 (-0,13%)
     

Governo ignora vacinas e insumos 'travados' e diz que 'Brasil está preparado para ser todo imunizado'

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Reprodução

O governo federal lançou uma campanha publicitária que diz que "o Brasil está preparado para ser todo imunizado" com a vacina da Covid-19.

O slogan parece ignorar a pequena quantidade de vacina disponível em estoque no país, e os empecilhos diplomáticos que travam a chegada de insumos para imunizantes vindos da China, e doses prontas de vacinas compradas e não enviadas pela Índia.

O vídeo afirma que a vacina é um "direito à saúde" e que o imunizante levará "proteção" para todo o país. A campanha não recomenda explicitamente a população a se vacinar, mas também não repete o discurso do presidente Jair Bolsonaro de que a vacina não pode ser obrigatória ou de que pode ter possíveis efeitos colaterais.

Leia também

O lema da campanha é "Brasil imunizado. Somos uma só nação". A gravação mostra diversas pessoas comuns, todas de máscara, enquanto uma música diz que "em cada canto desse meu país terá proteção".

No fim do vídeo, um locutor ressalta que as vacinas tiveram aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que são um direito.

— As vacinas aprovadas pela Anvisa já estão sendo distribuídas em todo o Brasil. Elas são um direito à saúde. Juntos, vamos cuidar uns dos outros.

Nos últimos meses, Bolsonaro levantou diversas dúvidas sobre a vacinação, dizendo que ele próprio não irá se vacinar, que os imunizantes não tem eficácia comprovada e que as pessoas teriam que assinar um "termo de responsabilidade" antes de tomar a vacina.

O vídeo da campanha publicitária também reforça a recomendação de que todos devem usar máscaras. O presidente parou há meses de usar máscaras e já disse que o equipamento é uma "ficção", contrariando diversos estudos que mostram a importância dele para diminuir a propagação do novo coronavírus.

da agência O Globo