Governo grego decreta a mobilização forçada dos marinheiros grevistas

Atenas, 6 fev (EFE).- O Governo grego decretou na madrugada desta quarta-feira a mobilização forçada dos marinheiros que entravam hoje em seu sétimo dia de greve.

No porto do Pireu, alguns navios de carga estão preparados para zarpar rumo às Cíclades, um conjunto de ilhas que nos últimos dias começou a sentir os efeitos da falta de abastecimento.

Segundo a imprensa local, o processo de carregamento dos navios, supervisionado por brigadas da Polícia, está sendo desenvolvido com muita lentidão devido à falta de espaço nos píeres.

Em um dos píeres deste gigantesco porto, se concentrou um volumoso grupo de marinheiros e filiados do sindicato PAME, afim ao Partido Comunista, que convocaram uma passeata contra o Ministério da Marinha Mercante.

A ordem de mobilização, cujo descumprimento prevê detenção de até três meses, entrou em vigor às 6h locais (2h de Brasília). Em solidariedade aos marinheiros, os trabalhadores dos ônibus, trólebus e trens farão hoje uma greve parcial de quatro horas.

O sindicato dos marinheiros iniciou a greve na quinta-feira passada em protesto pelas condições do setor e as reformas que o Governo planeja colocar em prática.

Os trabalhadores do setor marítimo exigem os pagamentos atrasados, a negociação de um novo convênio coletivo perante o vencimento do atual e o fim do emprego de imigrantes ilegais.

A Grécia possui milhares de ilhas e ilhotas, das quais cerca de 200 são habitadas, pelo que o tráfego marítimo tem importância fundamental para seu abastecimento. EFE

Carregando...