Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.960,62
    +64,03 (+0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

Governo federal criou condições para desvios das verbas da covid, diz Major Olímpio

Ana Paula Ramos
·2 minutos de leitura
Senator Major Olimpio gestures during an interview with Reuters in Brasilia, Brazil October 9, 2019. REUTERS/Adriano Machado
Senator Major Olimpio gestures during an interview with Reuters in Brasilia, Brazil October 9, 2019. REUTERS/Adriano Machado

O senador Major Olímpio (PSL-SP) disse que foi o governo federal que criou as condições para desvios das verbas de emendas parlamentares que deveriam ser usadas para combate à covid-19, como no caso do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com dinheiro na cueca.

Major Olímpio concedeu entrevista à coluna de Chico Alves, no UOL, publicada nesta sexta-feira (16).

Leia também

"Imagina só, ofereceram R$ 30 milhões a fundo perdido, num momento de pandemia, sem precisar fazer processo licitatório formal", apontou o parlamentar.

“Não existe almoço grátis. Alguém está pagando a conta. O governo estava buscando apoio no Senado às custas da verba da covid, ao melhor estilo "toma-lá-dá-cá”, disse.

O senador afirmou que foi procurado em maio por emissário do governo para dizer se estaria interessado em ter essa verba à disposição e indicar onde seria usada.

“O governo me ofereceu, como ofereceu para muitos senadores, R$ 30 milhões de verba covid-19. Falei isso na TV e acharam que eu estava exagerando. Tenho comigo a planilha com onze campos em branco. O governo dizia que eu deveria colocar apenas a destinação: covid-19. Eu falei: mas não tem aqueles critérios técnicos do Ministério da Saúde, relativos a número de óbitos, número de leitos de UTI, número de contaminados? Responderam: ‘Não, senador, pra onde o senhor quiser mandar o dinheiro será enviado em 30 dias’”, relatou.

A denúncia do senador do PSL está sendo apurada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Procuradoria-Geral da República, segundo ele.

O parlamentar também criticou a afirmação do presidente Jair Bolsonaro de que não há corrupção em seu governo.

“Pegar verba destinada ao combate do coronavírus e fazer uso político-partidário pra mim é criminoso. O responsável por essa distribuição de recursos tem nome, sobrenome e endereço: Jair Messias Bolsonaro, Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes”, disse Olímpio.

Ele citou também como exemplo a suspensão de licitação de R$ 280 milhões pela Infraero, no Aeroporto de Congonhas. O senador apresentou uma manifestação questionando edital de licitação dos espaços publicitários nas dependências do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo.

O TCU ordenou a suspensão da licitação, por restringir a competitividade do certame.