Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.375,25
    -1.185,58 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.728,87
    -597,81 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,20
    +4,75 (+5,37%)
     
  • OURO

    1.701,80
    -19,00 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    19.582,11
    -342,44 (-1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,50
    -9,53 (-2,09%)
     
  • S&P500

    3.639,66
    -104,86 (-2,80%)
     
  • DOW JONES

    29.296,79
    -630,15 (-2,11%)
     
  • FTSE

    6.991,09
    -6,18 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.096,25
    -445,50 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0768
    -0,0367 (-0,72%)
     

Governo estuda retornar com o horário de verão

Logo no início do mandato, Jair Bolsonaro determinou o fim do horário de verão (Getty Image)
Logo no início do mandato, Jair Bolsonaro determinou o fim do horário de verão (Getty Image)
  • Governo determinou o fim da mudança nos relógios no horário de verão

  • Ministério de Minas Energia está discutindo com o Palácio do Planalto

  • Essa é uma decisão considerada política pelas implicâncias na sociedade

Entre as medidas mais polemicas adotadas durante a gestão de Jair Bolsonaro está o encerramento do horário de verão. Desde que ele foi extinguido, diversos setores discutem se a medida foi adequada.

Agora, existem indícios de que o governo pode voltar atrás. Essa possibilidade está sendo discutida no Ministério de Minas e Energia e no Palácio do Planalto. No momento, existe uma tendência de retorno do instrumento usado durante décadas para economizar energia elétrica.

No entanto, a decisão caberá ao presidente. Quando Bolsonaro instituiu o fim da medida, foi divulgado que avaliação técnica de que o horário não fazia mais sentido do ponto de vista do setor elétrico.

Uma questão que foi levada em consideração é que essa é uma decisão política, já que o horário de verão mexe com hábitos de trabalho e de consumo de milhões de brasileiros.

Quando ainda existia o horário de verão, parte dos brasileiros adiantava os relógios em uma hora entre os meses de outubro e fevereiro.

Agora, o Ministério de Minas e Energia solicitou ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) estudos sobre a política após mudanças na forma como os brasileiros consomem eletricidade. Outro fator levado em consideração é o aumento da geração de energia solar.

O Ministério de Minas e Energia afirmou ainda que “realiza constantemente estudos, pesquisas e avaliações técnicas das medidas possíveis, de acordo com o contexto energético vigente, a fim de manter a segurança energética e a modicidade tarifária ao consumidor brasileiro”.