Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.714,55
    +2.418,37 (+2,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.833,80
    -55,86 (-0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,62
    -0,14 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.808,00
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    62.661,67
    +1.758,05 (+2,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.503,38
    +1.260,70 (+519,49%)
     
  • S&P500

    4.566,48
    +21,58 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.741,15
    +64,13 (+0,18%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.540,25
    +199,25 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4499
    -0,1309 (-1,99%)
     

Governo estadual do Rio vai construir 50 mil unidades habitacionais em cinco anos para população de baixa renda

·2 minuto de leitura

O governo do Rio de Janeiro vai construir 50 mil unidades habitacionais, nos próximos cinco anos, por meio do Programa Casa da Gente. O programa habitacional do estado foi lançado nesta quinta-feira (dia 16), pelo governador Claudio Castro, e terá investimento total de R$ 6,5 bilhões. Até o fim de 2022, a previsão é que dez mil unidades sejam contratadas e que mais da metade tenha obras iniciadas.

Serão beneficiadas famílias com renda de até R$ 2 mil e que se enquadrem em critérios estabelecidos nas diretrizes sociais. A expectativa com isso, de acordo com o governador, é que diminuindo o déficit habitacional no estado — hoje em torno de 500 mil unidades —, sejam reduzidos os gastos com aluguel social, atualmente pago para 6,5 mil famílias, além de reaquecer o setor da construção civil, um dos mais atingidos pela pandemia da Covid-19. Devem ser geradas mais de 57 mil vagas de emprego.

— Hoje, começamos a investir em moradias mais dignas, com toda a infraestrutura necessária para garantir qualidade de vida para as famílias beneficiadas. Entre os primeiros empreendimentos beneficiados estão o Conjunto Granja Disco, em Areal, em fase final de licitação, e a localidade de Boa Vista, em Laje do Muriaé, cujas obras serão retomadas já a partir de amanhã — anunciou o governador.

Projetos para construção

Há projetos para construção de unidades habitacionais em todas as regiões. Apenas na capital, estão previstas 2,8 mil unidades, entre elas demandas reprimidas do Complexo do Alemão e do Jacarezinho. Já na Baixada Fluminense, serão 2 mil moradias. Estão incluídas ainda 300 unidades habitacionais em São Gonçalo, 250 em Itaboraí e 100 em Tanguá.

Na Região Serrana, serão construídas 1.088 casas para atender às vítimas das chuvas de dezembro de 2011. No Médio Paraíba, estão previstas 932 unidades, e no Centro-Sul, outras 700. No Noroeste Fluminense, serão erguidas 800 moradias, e no Norte, 630. Na Costa Verde e na Região dos Lagos, serão 400 unidades, 200 em cada região.

Cada nova unidade habitacional construída terá área mínima de 45m² e máxima de 50m², com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, podendo ser adaptável para pessoas com deficiência.

Melhorias em conjuntos

O programa também prevê melhorias habitacionais em dez mil moradias em comunidades populares e reforma de 60 conjuntos com mais de 10 anos de existência, além de assistência técnica para 15 mil famílias.

— Não vamos apenas construir novas moradias, iremos voltar no tempo e recuperar unidades habitacionais que foram inauguradas há décadas. São mais de R$ 200 milhões para investir na reforma dessas unidades. Também vamos concluir todas as obras de unidades habitacionais que estão paradas — destacou o secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos