Mercado fechará em 3 h 56 min

Governo do Estado do Rio mantém medidas de isolamento até 5 de junho

Rafael Rosas

Decreto foi publicado um dia após prefeitura anunciar início do relaxamento do isolamento social na capital fluminense Um dia depois de a prefeitura do Rio anunciar medidas que iniciam o relaxamento do isolamento social, o governador Wilson Witzel (PSC) determinou em decreto publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial a prorrogação, até 5 de junho, das medidas de prevenção e enfrentamento à propagação do novo coronavírus no estado do Rio de Janeiro.

Em nota, o governo estadual ressaltou que as determinações de isolamento continuam valendo durante esta semana e as forças de segurança pública seguem auxiliando as ações das prefeituras. Nos próximos dias, o governo vai acompanhar o mapa de incidência de evolução da doença para começar a definir um cronograma de flexibilização gradual.

Witzel: decreto do governador mantém fechamento de escolas e creches, entre outros segmentos de atividade

Silvia Izquierdo/AP

Ficam mantidas medidas como o fechamento de escolas públicas e privadas, creches e instituições de ensino superior e a suspensão da realização de eventos esportivos, culturais, shows, feiras científicas, entre outros, em local aberto ou fechado. Também continua suspenso o funcionamento de cinemas, teatros, academias, centros de lazer e esportivos e shoppings.

Enquanto a prefeitura carioca liberou caminhadas nos calçadões e banhos de mar, hoje o governo estadual ressaltou que “permanece a recomendação para que a população fluminense não frequente praias, lagoas, rios e piscinas públicas e clubes”.

No comunicado divulgado pelo governo fluminense, a recomendação é que somente serviços essenciais devem permanecer funcionando, seguindo todas as medidas de segurança para evitar aglomerações, além do cumprimento do distanciamento entre as pessoas. “Em caso de descumprimento das medidas previstas, as autoridades competentes deverão apurar as eventuais práticas de infrações administrativas e crimes previstos. Os demais tipos de comércio terão que realizar atendimento em domicílio”, diz a nota divulgada pelo governo do Estado.