Mercado fechará em 5 h 37 min
  • BOVESPA

    113.726,76
    -921,23 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +985,48 (+1,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,08
    +0,80 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.764,30
    -4,00 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    60.614,29
    -594,68 (-0,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.420,16
    +44,94 (+3,27%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +107,57 (+2,47%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +916,96 (+2,67%)
     
  • FTSE

    7.189,67
    -44,36 (-0,61%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.063,25
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4137
    +0,0099 (+0,15%)
     

Governo espanhol diz que líder separatista catalão deve enfrentar cortes de Madri

·1 minuto de leitura
Ex-líder da região espanhola da Catalunha Carles Puigdemont

Por Joan Faus e Jordi Rubio

BARCELONA/ROMA (Reuters) - O governo espanhol exigiu, nesta sexta-feira, que o líder separatista catalão Carles Puigdemont seja extraditado para enfrentar acusações de sedição na Espanha, depois de ele ser detido pela polícia italiana na Sardenha.

O ex-líder da região espanhola da Catalunha deve comparecer a um tribunal de apelações da cidade sardenha de Sassari ainda nesta sexta-feira.

Agostinangelo Marras, advogado de Puigdemont na Sardenha, disse à agência de notícias italiana Ansa que a corte decidirá se confirma a prisão ou o liberta, mas não se ele deveria ser extraditado, na audiência desta sexta-feira.

A prisão de Puigdemont provavelmente causará comoção entre seus apoiadores, podendo complicar uma nova tentativa do governo espanhol para realizar conversas com o governo separatista da Catalunha a respeito do futuro da região.

A polícia isolou algumas ruas da capital catalã Barcelona depois que algumas centenas de manifestantes se reuniram diante do consulado da Itália, agitando bandeiras separatistas catalãs e bradando "Puigdemont é nosso presidente" e "Libertem Puigdemont".

Puigdemont, de 58 anos, exilou-se na Bélgica no final de 2017 depois que a Espanha o acusou de ajudar a organizar um refendo de independência naquele mesmo ano que as cortes espanholas consideraram ilegal.

"O senhor Puigdemont precisa se submeter à ação dos tribunais, exatamente como qualquer outro cidadão", disse o escritório do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, em um comunicado.

(Por Giselda Vagnoni, em Roma; Agnieszka Flak, em Milão; Inti Landauro, Jesus Aguado e Emma Pinedo, em Madri; Joan Faus, Jordi Rubio e Luis Felipe Castilleja, em Barcelona; e Johnny Coton e Robin Emmott, em Bruxelas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos