Mercado abrirá em 36 mins
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,14
    -1,81 (-2,59%)
     
  • OURO

    1.797,80
    +12,60 (+0,71%)
     
  • BTC-USD

    57.152,28
    -94,21 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.447,62
    +18,68 (+1,31%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.023,67
    -86,28 (-1,21%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.306,75
    -84,00 (-0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3681
    +0,0389 (+0,61%)
     

Governo dos EUA vai criar programa de laptop gratuito

·2 min de leitura
O projeto bipartidário de infraestrutura contém bilhões para expandir a banda larga de alta velocidade em todo o país, com o objetivo de fechar a divisão digital nos próximos 10 anos. (REUTERS/Kevin Lamarque)
  • Programa do Presidente Biden pretende alocar fundos para compra de computadores

  • 43% dos adultos de baixa renda têm conexão, mas não têm dispositivo

  • Plano de recuperação econômico americano quer melhorar infraestrutura do país

Após meses de negociações, a agenda Build Back Better do presidente Joe Biden avançou para sua última fase de debate esta semana. O projeto bipartidário de infraestrutura contém bilhões para expandir a banda larga de alta velocidade em todo o país, com o objetivo de fechar a divisão digital nos próximos 10 anos.

Leia também

Mas o pagamento inicial de US$ 65 bilhões (R$ 368 bilhões) do governo em banda larga só pode ajudar a conectar famílias que podem pagar por um computador. Portanto, a versão mais recente de Biden do programa Build Back Better vai além, alocando novos fundos para levar desktops, laptops e tablets financiados pelo governo federal para os americanos pobres.

Na semana passada, a Casa Branca lançou sua última versão do plano Build Back Better, delineando uma proposta de orçamento de US$ 1,75 trilhão (quase R$ 10 trilhões) para enfrentar a mudança climática e investir em outros serviços sociais como o Medicare. Bem no fundo das mais de 1.600 páginas do projeto de lei está uma nova iniciativa - o Programa de Concessão de Dispositivos Conectados - que ajudaria a fornecer desktops, laptops ou tablets gratuitos ou com desconto para famílias de baixa renda. Para cumprir essa meta, o Departamento de Comércio receberia US $ 475 milhões para premiar grupos comunitários que desejam distribuir esses dispositivos localmente.

43% dos adultos de baixa renda têm conexão, mas não têm dispositivo

Em junho deste ano, apenas quatro em cada dez adultos de baixa renda tinham acesso a um computador desktop ou laptop, e a maioria não é proprietária de tablet, de acordo com o Pew Research Center. Apenas 43% dos adultos de baixa renda também têm acesso a conexões de banda larga em casa. Esses dispositivos e tecnologia são predominantes em famílias que ganham US$ 100.000 (R$ 556 mil) ou mais a cada ano.

O financiamento do programa por meio do modelo de subsídio deixa as especificações de implementação para grupos locais, que podem incluir qualquer coisa, desde autoridades de habitação a bibliotecas locais.

A Microsoft lançou seu próprio programa de dispositivo recondicionado gratuito ou de baixo custo chamado Airband no início deste ano. O programa tem parceria com organizações da sociedade civil para fornecer dispositivos aos americanos pobres. Começando em Los Angeles e Nova York, o programa espera ser lançado em mais seis cidades nos próximos meses.

Muitas universidades oferecem dispositivos emprestados para alunos adultos, mas esses laptops ou tablets geralmente devem ser devolvidos após o término do ano letivo. Isso significa que os alunos adultos podem não ter acesso a dispositivos gratuitos ou de baixo custo até o ano letivo seguinte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos