Mercado abrirá em 6 h 17 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,53
    +0,06 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.891,10
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    22.611,20
    -618,27 (-2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,73
    -16,17 (-3,01%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.482,31
    +198,79 (+0,93%)
     
  • NIKKEI

    27.571,79
    -34,67 (-0,13%)
     
  • NASDAQ

    12.591,25
    +46,00 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5760
    +0,0086 (+0,15%)
     

Governo dos EUA se aproxima de teto da dívida em meio a impasse no Congresso

Por David Morgan

WASHINGTON (Reuters) - O governo dos Estados Unidos deve atingir seu limite de endividamento de 31,4 trilhões de dólares nesta quinta-feira, em meio a um impasse entre a Câmara dos Deputados, controlada pelos republicanos, e os democratas do presidente Joe Biden, que pode levar a uma crise fiscal em alguns meses.

Os republicanos, com uma maioria recém-conquistada na Câmara, pretendem usar o teto da dívida federal determinado pelo Congresso para exigir cortes de gastos de Biden e do Senado, liderado pelos democratas.

O prazo desta quinta-feira terá pouco efeito imediato, porque os funcionários do Departamento do Tesouro dos EUA estão preparados para começar a empregar medidas emergenciais de gerenciamento de caixa para evitar a inadimplência. Riscos mais graves surgirão mais perto de junho, quando o governo se aproximar da chamada data X, na qual o Tesouro ficará incapaz de manobras emergenciais.

Antes desse prazo, não há sinal de que qualquer dos lados esteja disposto a ceder.

"É algo que deve ser feito sem condições. Não devemos negociar em torno disso. É dever básico do Congresso fazer isso", disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, a repórteres .

Em vez disso, os republicanos estão buscando um plano de "priorização da dívida" que buscaria evitar a inadimplência, insistindo ao Tesouro para priorizar o pagamento da dívida e possivelmente outras prioridades, como Previdência Social e Medicare, caso o limite seja violado durante as negociações. Os republicanos esperam concluir a legislação até o final de março.

(Reportagem de David Morgan, reportagem adicional de Jeff Mason)