Mercado fechado

Governo diz que EUA têm poucos infectados e não se fecharam para o Brasil

Isadora Peron

Ministério da Justiça emitiu nota para explicar as razões pelas quais a entrada de americanos não haviam sido barrada na lista que proibiu desembarque de outros países Após críticas de que o governo não havia barrado a entrada de americanos no Brasil, o Ministério da Justiça e Segurança Pública esclareceu que "os Estados Unidos não entraram na lista porque, além de proporcionalmente ao número de habitantes não terem alto potencial de contágio, o país não fechou as fronteiras para os brasileiros".

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os Estados Unidos já ultrapassaram a barreira dos 10 mil casos de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus e registrado 154 mortes (dados de quinta-feira).

Na quinta-feira, uma portaria proibiu o desembarque, em todos os aeroportos, de pessoas vindas da maioria dos países da Europa, China, Japão, Coréia do Sul, Malásia e Austrália.

Passageiros se protegem do coronavírus no metrô de Nova York; número de casos nos EUA superou os 10 mil

AP Foto/Wong Maye-E

Em relação ao fechamento da fronteira terrestre com o Uruguai, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que a medida ainda "está em negociação" e deve sair até segunda-feira, uma vez que o país vizinho não tomou essa medida. "O governo brasileiro não quer que seja uma decisão unilateral".

A pasta também esclareceu que "os países listados na portaria foram identificados por autoridades das áreas de Saúde e Justiça como os com maior potencial de transmissão no momento, isso significa que outros ainda podem entrar na lista, dependendo da avaliação diária feita por técnicos".

"O governo está elegendo prioridades e as medidas serão adotadas em escalas, de acordo com as necessidades. As ações estão sendo coordenadas pelo governo Federal com os governos estaduais e os municípios", diz a nota.

Em relação à proibição do desembarque de estrangeiros vindos da América Latina, o governo afirmou que optou pelo fechamento de fronteiras com os oito países "porque o maior tráfego é por terra, e o fechamento tem por objetivo um controle sanitário".