Mercado abrirá em 3 h 18 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,20
    -0,19 (-0,51%)
     
  • OURO

    1.879,10
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    13.172,71
    +9,32 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,53
    -12,16 (-4,46%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.592,97
    +10,17 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.254,25
    +121,50 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7282
    -0,0062 (-0,09%)
     

Governo do Distrito Federal anuncia privatização de estatal de energia

Folhapress
·1 minuto de leitura

Preço mínimo esperado pela venda da CEB é de R$ 1,424 bilhão O governo do Distrito Federal anunciou neste sábado a privatização da CEB (Companhia Energética de Brasília). O conselho de administração da CEB aprovou a convocação de uma assembleia geral para chancelar a venda da empresa. O governo do Distrito Federal é o acionista majoritário da companhia. O preço mínimo de venda é de R$ 1,424 bilhão. Esse valor foi calculado a partir de duas avaliações realizadas por consultorias independentes contratadas pelo BNDES (Banco do Desenvolvimento Econômico e Social). A decisão foi comunicada aos acionistas e ao mercado em fato relevante divulgado pela companhia na tarde deste sábado. O documento é assinado pelo diretor administrativo-financeiro e de relações com investidores da empresa, Joel Antônio de Araújo. Após deliberação da assembleia geral, as ações serão ofertadas em leilão organizado pela B3. O Valor mostrou em reportagem que os grupos CPFL e Equatorial estão entre os potenciais interessados. Em 2019, o grupo CEB obteve lucro líquido de R$ 119 milhões -um aumento de 32% em relação ao ano anterior. O primeiro passo para a venda da companhia foi dado em 2019, quando o governador do Distrito Federal, contratou o BNDES para assessorar o processo. Em fevereiro de 2020, Ibaneis declarou que a privatização da CEB é irreversível e prioridade do governo.