Mercado fechado

Governo de Minas investiga nova suspeita de coronavírus em Belo Horizonte

Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

O governo de Minas Gerais monitora uma suspeita de coronavírus em Belo Horizonte, sendo este o segundo em menos de uma semana. A paciente, uma mulher de 22 anos, estava na China e, de acordo com pessoas próximas, desembarcou na capital mineira vindo diretamente de Wuhan, local onde o vírus se originou e que está isolado pelo governo chinês. As informações são da Revista Veja.

A paciente foi atendida na última sexta-feira (24) em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com sintomas respiratórios e febre baixa. De acordo com o governo Romeu Zema, a mulher está internada, passa bem e foi transferida ao hospital Eduardo de Menezes, onde será avaliada a evolução dos sintomas.

Leia também

“O caso será discutido com o Ministério da Saúde e assim que tivermos novas atualizações, iremos informar”, diz nota oficial.

No final da última semana, Minas Gerais já havia divulgado um caso suspeito de coronavírus. A suspeita era sobre uma mulher de 35 anos que também chegara de viagem diretamente da China, mas desta vez da cidade de Xangai. Ela foi internada no hospital Eduardo de Menezes, mas o Ministério da Saúde descartou que o caso se tratasse do novo vírus, com base em orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Posteriormente, a Secretaria Estadual de Saúde corroborou com o órgão federal.

O critério atual define que um caso por coronavírus se restringe à transmissão entre pessoas que estiveram ou se encontraram em Wuhan. Os sintomas consistem em febre e sintomas respiratórios, como tosse e dificuldades para respirar, apresentados em até duas semanas após a infecção.

Na última quinta-feira (23), o Ministério da Saúde informou que já havia descartado quatro casos suspeitos de coronavírus no Brasil antes de também desconsiderar a primeira suspeita em Minas Gerais.