Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,90
    +21,20 (+1,20%)
     
  • BTC-USD

    49.508,15
    +1.684,82 (+3,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Governo corta em 10% taxas de importação de produtos e serviços estrangeiros

·2 min de leitura

O governo federal publicou nesta sexta-feira (5) uma medida conjunta dos ministérios da Economia e das Relações Exteriores que reduz em 10% reduz em 10% as taxas de importação de aproximadamente 87% das categorias de produtos usados no Brasil, sem abranger exceções já existentes no Mercosul. De acordo com a Folha de S. Paulo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a resolução ajudará a moderar a inflação.

A redução é temporária e deve durar até o dia 31 de dezembro de 2022. Segundo Guedes disse em um evento da Confederação Nacional do Comércio (CNC), a medida foi permitida pela Argentina, Uruguai e Paraguai, os demais membros do Mercosul. Isso porque a redução ocorreu com base no Tratado de Montevidéu, um acordo de 1980 entre os países do grupo que permite medidas temporárias em casos de proteção da vida e da saúde das pessoas.

"No momento atual, em que temos uma pressão inflacionária forte na economia brasileira e gostaríamos de dar um choque de oferta, facilitar a entrada de importações para dar moderação nos reajustes de preços, é o momento ideal para fazer uma abertura, ainda que tímida, da economia", afirmou Guedes no evento.

Imagem: Reprodução/RoseBox/Unsplash
Imagem: Reprodução/RoseBox/Unsplash

O Brasil deve pedir para que os cortes sejam estendidos a todo os integrantes do Mercosul. Segundo a Folha, Jair Bolsonaro e Alberto Fernández, presidentes do Brasil e da Argentina respectivamente, chegarem a um acordo sobre o tema em outubro, após meses de divergência.

O governo brasileiro também tem trabalhado para promover a revisão da Tarifa Externa Comum (TEC), um conjunto de tarifas sobre a importação estabelecido em 1995 para os países-membros do Mercosul. Diz o ministério da Economia que a TEC nunca foi revisada em mais de 25 anos de existência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos