Mercado abrirá em 5 h 27 min

Governo chinês avança em participações de empresas tech como Alibaba e ByteDance

Na última sexta-feira (13), uma reportagem do Financial Times revelou que o governo chinês está adquirindo ações minoritárias de gigantes da tecnologia do país. Segundo o portal britânico, já foram adquiridas ações do e-commerce Alibaba e da ByteDance, empresa-mãe do TikTok. A próxima empresa na mira do governo é uma subsidiária do conglomerado de mídia, Tencent.

As golden shares, ou ações de ouro, são ativos equivalentes a cerca de 1% da empresa que permitem direitos especiais aos acionistas — incluindo representação no Conselho Administrativo e veto para decisões de negócios. Conforme revela a notícia, o governo chinês adquiriu as participações para fortalecer o seu controle sobre o conteúdo online no país e aumentar a fiscalização na gestão das empresas de tecnologia chinesas.

As aquisições são realizadas através de fundos ou empresas estatais e tiveram o Alibaba como principal alvo. Em setembro do ano passado, o fundo de investimentos da estatal Zhejiang Media Group assumiu uma participação de 1% na unidade Youku Film and Television do Alibaba, em Xangai.

Uma das empresas que o governo chinês adquiriu golden shares foi uma subsidiária da ByteDance — empresa-mãe do <a class="link " href="https://canaltech.com.br/empresa/tiktok/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:TikTok">TikTok</a> (Imagem: Divulgação/ByteDance)
Uma das empresas que o governo chinês adquiriu golden shares foi uma subsidiária da ByteDance — empresa-mãe do TikTok (Imagem: Divulgação/ByteDance)

Já o braço da Administração do Ciberespaço da China adquiriu 1% de uma subsidiária de mídia digital do Alibaba em Guangzhou. Anteriormente, fundos estatais já haviam adquirido ações de ouro da Full Truck Alliance e da Kuaishou Technology — sendo a segunda uma subsidiária da ByteDance.

Repressão regulatória

No final de 2020, o presidente Xi Jinping anunciou a investigação de 14 das maiores plataformas financeiras do país que operam na internet e apresentavam um rápido crescimento. O movimento visava revisar procedimentos fiscais e financeiros das plataformas, além de preocupação com o avanço do mercado de jogos online.

O processo eliminou mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado das maiores empresas de tecnologia de capital aberto do país, devido às multas. Na última segunda-feira (9), o presidente da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China, Guo Shuqing, disse à mídia estatal que o governo havia concluído as investigações.

O fim do "cerco" contra as companhias começou a ser sinalizado ainda em dezembro, com o afrouxamento das regras de segurança contra covid-19. Outro sinal foi a autorização de que empresas domésticas trouxessem títulos de videogame importados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: