Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.957,77
    -161,60 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Governo central tem primeiro superávit primário em 9 anos em setembro, de R$303 mi

·2 min de leitura
Moedas de reais

BRASÍLIA (Reuters) - O governo central, formado por Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registrou um superávit primário de 303 milhões de reais em setembro, primeiro dado no azul para o mês desde 2012, ajudado pelo aumento na arrecadação.

O dado, divulgado nesta quinta-feira pelo Tesouro, veio melhor que a projeção de um resultado neutro, segundo pesquisa Reuters com analistas.

Em setembro do ano passado, o déficit havia sido de 76,144 bilhões de reais, fortemente impactado pelos gastos extraordinários associados ao enfrentamento da pandemia de Covid-19.

"Créditos extraordinários, apoio financeiro a Estados e Municípios e subsídios destinados ao Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC Maquininhas) apresentaram redução de 40,9 bilhões, 21,3 bilhões e 5,5 bilhões de reais, respectivamente, quando comparados a setembro de 2020", disse o Tesouro.

Na véspera, a Receita já havia divulgado uma arrecadação recorde para setembro, influenciada pelo maior recolhimento de tributos de empresas.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a receita líquida do governo central teve um aumento real de 9,3%, a 128,448 bilhões de reais. Já a despesa caiu 36,4% na mesma base de comparação, a 128,146 bilhões de reais.

"Os dados de setembro corroboram a tendência de melhora consistente nas contas públicas ao longo de 2021, resultado da forte arrecadação e da maior focalização das despesas relacionadas ao enfrentamento da pandemia", disse o Tesouro. No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o rombo nas contas públicas foi de 82,486 bilhões de reais, contra 677,446 bilhões de reais em igual etapa de 2020.

Em 12 meses, o déficit primário alcançou 154,2 bilhões de reais, equivalente a 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB). No fim de setembro, o Ministério da Economia melhorou sua projeção de déficit primário para o governo central em 2021 a 139,4 bilhões de reais, diante da perspectiva de maior arrecadação neste ano.

(Por Marcela Ayres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos