Mercado fechará em 1 h 9 min
  • BOVESPA

    111.346,86
    -726,69 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.391,51
    -627,40 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,30
    -0,11 (-0,14%)
     
  • OURO

    1.930,20
    -12,60 (-0,65%)
     
  • BTC-USD

    23.881,32
    +897,06 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    545,58
    +0,26 (+0,05%)
     
  • S&P500

    4.173,50
    +54,29 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    33.937,71
    -155,25 (-0,46%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.822,75
    +408,50 (+3,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4625
    -0,0919 (-1,65%)
     

Governo central tem déficit primário de R$14,687 bi em novembro, aponta Tesouro

Moedas de reais

(Reuters) - O governo central registrou um déficit primário de 14,687 bilhões de reais em novembro, informou o Tesouro nesta quarta-feira, com recuo nas receitas federais por conta de uma menor arrecadação de dividendos.

O resultado, que reúne as contas de Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, veio mais fraco do que no mesmo mês de 2021, quando houve superávit de 4,188 bilhões de reais.

No acumulado de janeiro a novembro, as contas públicas permanecem superavitárias, em 49,297 bilhões de reais, contra um rombo de 48,897 bilhões de reais em igual período de 2021.

Em 12 meses, o superávit primário é de 66,5 bilhões de reais, equivalente a 0,77% do Produto Interno Bruto (PIB).

Em novembro, as receitas do governo central, já descontadas as transferências obrigatórias a Estados e municípios, tiveram queda real de 9,4% sobre o mesmo mês de 2021, para 125,887 bilhões de reais.

No mês, as receitas foram puxadas para baixo por uma queda de 88,3% nos ganhos com dividendos e participações, recuo de 8,7 bilhões de reais. A coleta de IPI no período caiu 42,1% (-R$3,1 bilhões de reais).

Por outro lado, houve aumento de 21,3% na receita com Imposto de Renda (+9,3 bilhões de reais).

Já as despesas do governo cresceram 4,6% acima da inflação no mês passado, a 140,574 bilhões de reais, com alta nos gastos previdenciários e na liberação de créditos extraordinárias, apesar de um recuo nos desembolsos discricionários de ministérios.

(Por Bernardo Caram)