Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.630,97
    +935,82 (+2,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Governo Bolsonaro assina acordo para apoiar programa da Nasa que prevê nova missão à Lua em 2024

·2 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 15.06.2021 - EVENTO-DF: O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) realiza nesta terça-feira (15), no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília, a cerimônia de assinatura do acordo de cooperação que oficializa a participação brasileira no programa da Agência Espacial Americana (NASA), intitulado como Artemis. A solenidade conta com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, do ministro do MCTI, astronauta Marcos Pontes, do ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, e do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 15.06.2021 - EVENTO-DF: O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) realiza nesta terça-feira (15), no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília, a cerimônia de assinatura do acordo de cooperação que oficializa a participação brasileira no programa da Agência Espacial Americana (NASA), intitulado como Artemis. A solenidade conta com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, do ministro do MCTI, astronauta Marcos Pontes, do ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, e do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo Jair Bolsonaro (sem partido) assinou nesta terça-feira (15) um acordo para apoiar um programa do governo americano que prevê o envio de uma tripulação à Lua em 2024.

De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, o acordo estabelece princípios e diretrizes de cooperação internacional na exploração do espaço, entre elas fins pacíficos, transparência e divulgação de dados.

Ainda segundo a pasta, o Brasil é o único país da América Latina e o 12º a assinar a parceria de adesão ao programa Artemis da Nasa, de retorno à Lua. A lista inclui, além dos EUA, Austrália, Canadá, Itália, Japão, Luxemburgo, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Coreia do Sul, Nova Zelândia e Ucrânia.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, disse que a adesão do Brasil ao programa Artemis é "um grande salto para o programa espacial brasileiro". "Esse programa retorna com missões tripuladas á Lua e hoje o Brasil se integra a esse esforço", disse o ministro e ex-astronauta.

A cerimônia no Palácio do Planalto teve a participação do presidente Bolsonaro, do ministro Carlos França (Relações Exteriores) e do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman. Enviaram mensagem de vídeo o administrador da Nasa, Bill Nelson, e o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

Em um primeiro momento, a adesão do Brasil ao programa Artemis não envolve investimentos do país.

"Neste momento não tem nenhum recurso envolvido. Na medida que o Brasil vai se integrando nas diversas missões e atividades do programa, podem ser feitos contratos individuais e separados para cada uma dessas fases", disse.

Todd Chapman afirmou, por sua vez, que os acordos Artemis "são parte de um esforço amplo dos seus signatários para trabalharem juntos para a exploração civil pacífica do espaço". "Eu espero ver na Lua a bandeira brasileira ao lado da bandeira dos EUA", disse.

Ele também afirmou que o plano do governo americano é que, no retorno de missões humanas à Lua, a tripulação seja formada pela primeira mulher e a primeira pessoa negra a aterrissar no satélite.

Após a cerimônia, Pontes foi questionado se a tripulação que deve viajar à Lua em 2024 será formada exclusivamente por americanos. Ele disse que sim, mas que, no âmbito do acordo, outros países podem integrar eventuais missões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos