Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.491,09
    +612,56 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.956,52
    +281,69 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    +0,25 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.844,60
    +14,40 (+0,79%)
     
  • BTC-USD

    19.359,27
    +410,37 (+2,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,32
    +5,91 (+1,58%)
     
  • S&P500

    3.666,77
    -2,24 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,71
    +85,92 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.465,50
    +11,25 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2661
    -0,0537 (-0,85%)
     

Governo boliviano não convidará Maduro para posse de Arce

·1 minuto de leitura

O atual governo da Bolívia, chefiado pela interina Jeanine Áñez, não convidará o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, para a posse do novo presidente Luis Arce no dia 8 de novembro, informou nesta quinta-feira a chancelaria. 

"O Ministério das Relações Exteriores não convidará Nicolás Maduro para os atos de transmissão de comando, já que o Estado Plurinacional da Bolívia reconhece o Governo do presidente em exercício Juan Guaidó como governo legítimo da Venezuela”, afirmou o ministério em nota.

O governo Áñez baixou um decreto para organizar os atos de posse do governo ao esquerdista Arce, vencedor das eleições gerais do último dia 18 deste mês. 

Segundo a chancelaria, o governo eleito manifestou o desejo de convidar Maduro e o ex-presidente Evo Morales para as cerimônias de La Paz, mas que "não fará esses convites". 

O governo de transição boliviano, empossado apenas em novembro de 2019, após a renúncia do esquerdista Morales à presidência, rompeu relações com a Venezuela, que foram muito estreitas durante os 14 anos de renúncia do governo.

jac/gma/cc