Mercado abrirá em 1 h 49 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,01
    -0,14 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.747,30
    +11,00 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    62.289,47
    -1.673,03 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.356,41
    -19,37 (-1,41%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.978,62
    +39,04 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    13.898,50
    +99,75 (+0,72%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7641
    -0,0088 (-0,13%)
     

Governo autoriza aumento de até 4,88% nos preços dos remédios

Marcela Leite
·1 minuto de leitura
Pílulas de medicamento
Preço de medicamentos podem subir até 4,88%

O governo publicou no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira (15) um reajuste de 4,88% nos preços dos remédios. Os valores deveriam mudar só em 31 de março, como em todo ano, mas em 2021 foi diferente.

Leia também:

O aumento, que já pode ser aplicado pelas farmácias, foi definido em reunião pela pelo CMED (Comitê técnico da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), na última sexta-feira (12). O órgão é vinculado à Anvisa.

A portaria não esclarece por que o ajuste foi feito 15 dias antes do previsto.

Aqui, a CMED disponibiliza uma lista com o preço máximo que cada medicamento deve ser vendido.