Mercado fechará em 4 h 13 min
  • BOVESPA

    121.423,75
    -2.152,81 (-1,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.202,13
    -431,78 (-0,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,36
    -2,20 (-3,12%)
     
  • OURO

    1.810,20
    -3,90 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    39.328,10
    +1.232,51 (+3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    967,46
    +40,69 (+4,39%)
     
  • S&P500

    4.404,16
    -18,99 (-0,43%)
     
  • DOW JONES

    34.827,39
    -289,01 (-0,82%)
     
  • FTSE

    7.121,24
    +15,52 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.033,00
    -13,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2024
    +0,0369 (+0,60%)
     

Governo anuncia prorrogação do auxílio emergencial por mais 3 meses

·2 minuto de leitura
Fila em banco no Rio de Janeiro

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro editou decreto que prorroga por mais três meses o auxílio emergencial destinado à população de baixa renda, informou nesta segunda-feira a assessoria de comunicação da Secretaria-Geral da Presidência da República.

O Executivo já vinha estudando a possibilidade de estender o auxílio --uma demanda insistente do Congresso Nacional--, mas o anúncio da prorrogação ocorre em um momento em que o governo de Jair Bolsonaro é alvo de denúncias de supostas irregularidades em compra de vacinas contra a Covid-19.

"Estamos prorrogando o auxílio emergencial por mais três meses, agosto, setembro e outubro, enquanto acertamos aí o novo valor do Bolsa Família para o ano que vem", disse Bolsonaro em vídeo publicado no Facebook.

Em novembro, segundo o ministro da Cidadania, João Roma, deve entrar em vigor o novo programa social do governo "fortalecido e ampliado" em substituição ao Bolsa Família.

Também presente no vídeo veiculado na rede social, o ministro da Economia, Paulo Guedes, lembrou que o compromisso firmado entre governo e aliados no Congresso envolve a prorrogação do auxílio e o avanço na imunização contra a Covid-19.

Guedes afirmou que a atividade econômica está "voltando" e argumentou que os três meses adicionais de auxílio irão proporcionar "proteção" enquanto não se atinge a vacinação em massa da população.

"O ministro (da Saúde, Marcelo) Queiroga prevê que em mais três meses tem o controle epidemiológico. O auxílio emergencial vai até lá, e aí aterrissamos no Bolsa Família, que o presidente também já determinou que tem que ter um valor substancial para proteger justamente a população mais frágil", disse o ministro da Economia.

O presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que também participou do vídeo, publicou em seu perfil no Twitter que a prorrogação é "anseio legítimo do Congresso, viabilizado pelo governo federal, em favor dos brasileiros".

O pagamento da prorrogação do auxílio será efetivado por meio de uma medida provisória, que abrirá crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos