Mercado fechado

Governo anuncia desbloqueio de R$ 13,976 bi do Orçamento

Edna Simão, Lu Aiko Otta, Fabio Murakawa e Matheus Schuch

Recursos extras arrecadados pela União também serão usados para cobrir créditos do Congresso e pagamentos a projetos de lei em tramitação O governo desbloqueou R$ 13,976 bilhões para os ministérios neste ano, segundo dados detalhados nesta segunda-feira pelo secretário de Orçamento Federal, George Soares, com o relatório extemporâneo de receitas e despesas. Além disso, serão repassados R$ 11,7 bilhões (número considera o adicional de R$ 5,897 bilhões) para Estados e municípios referente à cessão onerosa.

Mesmo com essa liberação, o governo ainda contará com uma reserva de R$ 18,125 bilhões, parte utilizada para cobrir créditos que aguardam aprovação do Congresso Nacional. Deste total, R$ 13 bilhões serão destinados para pagamento de projetos de lei que estão em tramitação. Com isso, deve haver uma sobra de R$ 5 bilhões, o que vai ajudar no melhor desempenho do resultado primário neste ano.

Guedes prevê déficit primário abaixo de R$ 80 bi neste ano

Teto de gastos pode ser descumprido em 2021, alerta IFI

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou há pouco que, apesar de o déficit primário do governo central ficar um pouco abaixo de R$ 80 bilhões neste ano, a meta de déficit está mantida em R$ 139 bilhões.

Ele ressaltou que a previsão de receita bruta para o ano teve um crescimento de R$ 22,5 bilhões e deve chegar a R$ 1,629 trilhão devido às receitas referentes à cessão onerosa e da sexta rodada de leilão de petróleo.

Por isso, fez questão de destacar que o aumento da receitas não ocorreu por ampliação da carga tributária. “Há zero possibilidade de aumento da carga tributária, o que é uma diretriz do governo Bolsonaro”, destacou.