Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.332,63
    -56,56 (-0,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Governo de Alagoas reforça segurança para barrar invasão de bolsonaristas ao porto de Maceió

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O governo de Alagoas reforçou o policiamento no entorno do porto de Maceió após bolsonaristas terem se organizado para tentar invadir o local nesta quarta-feira (11).

Os extremistas planejavam bloquear os acessos ao Terminal Aquaviário da Transpetro, subsidiária da Petrobras, e da base de distribuição da Vibra Energia para interromper o fornecimento de combustíveis no estado. No entanto, não foi registrada nenhuma tentativa de invasão ao porto.

Em nota, o governo de Alagoas informou que, a despeito de ser uma área sob jurisdição federal, reforçou o policiamento da área e colocou viaturas na entrada do porto, em uma ação preventiva. A Secretaria de Segurança Pública atua no monitoramento e se diz atenta a qualquer movimentação atípica.

A possibilidade de ataques em Alagoas foi alertada pela FUP (Federação Única dos Petroleiros), que desde o último domingo (8) monitora a movimentação de grupos extremistas para possíveis ataques em refinarias e terminais.

Diante das ameaças de ataques, a FUP acionou órgãos federais de segurança, o serviço de inteligência e segurança corporativa da Petrobras e o senador Jean Paul Prates, indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para assumir a presidência da Petrobras.

A Petrobras informou que terminais e refinarias estão funcionando normalmente e que monitora possíveis ameaças, adotando "medidas preventivas de proteção necessárias conforme procedimento padrão para garantir a continuidade dos negócios".

O IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás), representante institucional das principais empresas do setor, informou que "trabalha sempre de forma próxima e cooperativa com as autoridades constituídas para garantia da segurança de instalações indispensáveis ao abastecimento de combustíveis do país".

A entidade também disse que repudia qualquer ato de violência e eventuais ações que tenham o objetivo de trazer instabilidade aos princípios democráticos. E destaca que confia na atuação das forças de segurança pública em caso de possíveis ocorrências.

Possíveis ataques a refinarias e terminais têm sido anunciados por bolsonaristas nos últimos dias em redes sociais e teriam como objetivo interromper o fornecimento de combustíveis no país. A movimentação dos terroristas se intensificou em alguns estados na noite de domingo (8), após os ataques em Brasília, e madrugada de segunda-feira (9).