Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,96
    +0,76 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.764,70
    +1,00 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    16.885,15
    +694,55 (+4,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,60
    +12,88 (+3,31%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    27.897,60
    -130,24 (-0,46%)
     
  • NASDAQ

    11.532,50
    +7,75 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4629
    +0,0063 (+0,12%)
     

Governo abrirá consulta sobre novo leilão para acesso à rede de transmissão elétrica

Linha de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério de Minas e Energia informou que abrirá, na próxima quinta-feira, uma consulta pública com diretrizes para o primeiro leilão do país para contratação de margem de escoamento para acesso ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Como mostrou a Reuters, esse novo leilão do setor elétrico ajudará a filtrar o enorme estoque de projetos de geração de energia renovável que se formou no último ano, após empreendedores correrem contra o tempo para garantir descontos em tarifas de distribuição e transmissão.

A proposta é colocar geradores para competir pela conexão de suas usinas ao sistema de transmissão de energia elétrica, de modo a indicar quais projetos efetivamente serão construídos entre os mais de 200 gigawatts (GW) de potência que aguardam outorga na agência reguladora Aneel.

Denominado Procedimento Competitivo por Margem (PCM), o certame está previsto para o primeiro semestre de 2023, disse o Ministério de Minas e Energia, em comunicado.

"O objetivo é proporcionar maior eficiência na alocação dos recursos de transmissão, cujo acesso tem sido limitado, dadas restrições técnicas e econômicas para atendimento dos interessados", afirmou a pasta.

Os critérios atuais para que as usinas acessem a rede elétrica não têm se mostrado adequados diante do enorme volume de novos projetos. Hoje, a emissão de pareceres de acesso pelo operador ONS segue uma ordem cronológica da data de solicitação --ou seja, quem chega primeiro tem preferência.

Após a conclusão da consulta pública, será publicada uma portaria com a sistemática do procedimento. Em seguida, a Aneel apresentará o cronograma de atividades para realização do procedimento ainda no primeiro semestre do ano que vem.

O trabalho é fruto de um diálogo junto à Aneel, Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e associações do setor, apontou o governo.

(Por Letícia Fucuchima)