Mercado fechado

Governador da Flórida pede doações de plasma

·2 minuto de leitura
South Bay, Miami Beach, na Flórida, em 14 de julho de 2020
South Bay, Miami Beach, na Flórida, em 14 de julho de 2020

O governador da Flórida, Ron DeSantis, pediu nesta segunda-feira aos que tiveram COVID-19 que doassem plasma para ajudar a salvar vidas, em um momento em que o remdesivir antiviral está em falta e os hospitais deste estado do sudeste dos Estados Unidos estão saturados.

A situação na Flórida piora: mais de 9.500 pessoas são hospitalizadas com coronavírus, apenas 18% dos leitos de terapia intensiva estão disponíveis, as filas para fazer o teste excedem um quilômetro e os resultados levam de 7 a 10 dias para serem conhecidos, o que impede que as pessoas infectadas se isolem a tempo.

Na segunda-feira, a Flórida registrou 10.347 novos casos e 90 mortes, elevando o número total de óbitos neste novo epicentro do coronavírus nos Estados Unidos para 5.072.

Criticado por sua gestão da pandemia e sua recusa em ordenar o uso obrigatório de máscaras, o governador foi interrompido por manifestantes que gritavam você está mentindo!" na sede do centro de doação de sangue OneBlood em Orlando, onde a conferência foi realizada.

Precisando elevar o tom de voz, DeSantis encorajou os moradores da Flórida a fazerem um teste de anticorpos e doarem sangue caso testem positivo.

"Há pessoas que teve isso sem sintomas há um mês ou dois e que possuem anticorpos que podem ser usados ", disse o governador.

O plasma convalescente é coletado de pessoas que se recuperaram do coronavírus e desenvolveram anticorpos que permanecem no plasma sanguíneo. A transfusão de plasma mostra resultados promissores em pacientes hospitalizados.

"A demanda [por plasma] é sem precedentes", disse George Scholl, presidente da OneBlood. "É uma porta giratória. Assim que o plasma chega, ele sai novamente".

Scholl detalhou que a OneBlood tem um aumento de 500% nas solicitações hospitalares de plasma convalescente da COVID-19 e pediu às pessoas com anticorpos que marquem uma consulta no site www.oneblood.org.

A Associação Hospitalar da Flórida informou no fim de semana que tinha uma "necessidade crítica" de remdesivir, um antiviral que demonstrou eficácia na recuperação de pacientes.

Nesta segunda-feira, a organização informou que espera um envio de 50.000 ampolas dentro de duas semanas.

O prefeito de Miami, Francis Suarez, o primeiro morador da Flórida a doar plasma convalescente, também está pedindo que os recuperados de COVID-19 tornem a doação de seus anticorpos um hábito, já que a doação pode ser feita uma vez por mês.