Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.659,07
    -157,01 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Governador da Flórida restringe voto por correio, agradando apoiadores de Trump

·2 minuto de leitura
(Arquivo) o governador da Flórida, Ron DeSantis

O governador da Flórida, Ron DeSantis, cujo nome pode ser cotado como possível candidato à presidência americana em 2024, assinou nesta quinta-feira (6) uma lei eleitoral que restringe o voto pelo correio, em um ato que agradou apoiadores do ex-presidente Donald Trump.

A lei SB90 impõe a necessidade de um documento de identidade para a solicitação do voto pelo correio, reduz a disponibilidade de caixas de correio onde os votos são depositados e proíbe o uso de recursos privados para financiar despesas eleitorais, entre outras medidas.

DeSantis assinou a lei em Palm Beach, a poucos quilômetros do clube Mar-a-Lago onde mora Trump, em evento com apoiadores do ex-presidente e com cobertura exclusiva para o conservador canal Fox. A imprensa local não teve acesso.

"As caixas de correio precisam ser monitoradas, não podemos deixá-las lá fora sem supervisão", afirmou DeSantis ao programa Fox & Friends diante de uma plateia que o ovacionava.

Embora não tenha havido suspeita de fraude na Flórida durante a eleição presidencial de novembro, o governador DeSantis disse que a lei garantirá que "os votos dos moradores da Flórida sejam aprovados com integridade e transparência".

O voto pelo correio é o pesadelo do republicano Trump. Foram essas cédulas que penderam a balança a favor de seu rival democrata, Joe Biden, em meio à tentativa de reeleição. Diante da derrota, o ex-magnata alegou fraude eleitoral.

A comissária de Agricultura da Flórida, Nikki Fried - a único democrata eleita no governo desse estado - acusou DeSantis de aprovar este projeto de lei para satisfazer Trump e sua base, cuja simpatia ele espera herdar.

"A única fraude que vi foi dos republicanos", declarou Fried em entrevista coletiva. "Sabemos que a única razão pela qual essa lei foi aprovada e assinada é uma pessoa".

Os críticos consideram ainda que a lei, aprovada na semana passada, é uma forma de supressão de voto.

A Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor declarou em um comunicado que esta lei "cria barreiras e obstáculos que impactam todos os eleitores da Flórida e afetam de maneira desproporcional a possibilidade de que eleitores negros, latinos e deficientes tenham de votar".

Os Estados Unidos não emitem carteira de identidade para toda a população, como em outros países. A identidade é normalmente verificada com a carteira de habilitação, algo que nem sempre quem não tem carro possui.

lm/yo/bn