Mercado fechará em 5 h 2 min
  • BOVESPA

    107.603,20
    -1.111,34 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.992,82
    +159,02 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,68
    -0,08 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.793,10
    -13,70 (-0,76%)
     
  • BTC-USD

    62.337,75
    -876,54 (-1,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.500,48
    -4,67 (-0,31%)
     
  • S&P500

    4.588,02
    +21,54 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.819,49
    +78,34 (+0,22%)
     
  • FTSE

    7.268,71
    +45,89 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    26.038,27
    -93,76 (-0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.106,01
    +505,60 (+1,77%)
     
  • NASDAQ

    15.641,50
    +145,75 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4835
    +0,0472 (+0,73%)
     

Gordura nos quadris e coxa pode ser sintoma de doença vascular

·2 minuto de leitura
Gordura nos quadris e coxa pode ser sintoma de doença vascular
Gordura nos quadris e coxa pode ser sintoma de doença vascular

A gordura localizada e flacidez pode ser um sintoma de doença vascular. O lipedema é visto como obesidade ou sobrepeso, muito mais comum em mulheres, surgindo na puberdade, durante a gestação ou após a menopausa. Sendo assim, há inchaço e um acúmulo de gordura, ainda mais nos membros inferiores.

“A gordura do lipedema costuma ser dolorosa e se concentra em quadris, coxas e panturrilhas. Também podem surgir alguns pequenos nódulos”, explicou Andrea Ferri Catib, nutróloga, especialista em medicina do esporte e membro da Sociedade Brasileira para Estudos da Fisiologia (Sobraf).

Além disso, outros sintomas incluem desproporção entre as pernas e o tronco, celulite, sensação de peso nas pernas e cansaço. Andre comentou que – por outro lado – a gordura da obesidade é distribuída de forma mais uniforme no corpo, sendo eliminada com menor dificuldade por meio de dieta e atividade física, o que não acontece em casos de lipedema.

“Provavelmente, existe uma ligação com a genética, mas nenhum gene ainda foi identificado. Parece também haver uma relação com o estrogênio, uma vez que acomete praticamente só mulheres e, normalmente, em fases nas quais ocorre um aumento desse hormônio, como na puberdade e gestação”, disse Andrea.

Leia mais:

O tratamento do lipedema precisa uma equipe ampla, formada por angiologista, cirurgião vascular, nutricionista, fisioterapeuta e, em alguns casos, psicólogo. É preciso também exames para detectar doenças endocrinológicas que poderiam causar sintomas similares.

De acordo com Fernando Amato, que é cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a cirurgia deve ser a última opção: “Somente após tentar o tratamento clínico por um tempo que devemos indicar a lipoaspiração.”

Além do acompanhamento multidisciplinar, necessita que não haja o abuso de alimentos como carnes suínas e bovinas, embutidos, refrigerante, bebidas alcóolicas e produtos industrializados, que podem intensificar a inflamação do lipedema.

Fonte: IstoÉ

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos