Mercado fechado

Google vendeu mais celulares Pixel em 2019, mas não tem muito o que celebrar

Felipe Junqueira

O Google finalmente ultrapassou a OnePlus em número de unidades de celulares vendidos em 2019, segundo o analista da IDC Francisco Jeronimo. Segundo ele, isso se deve principalmente ao aumento do catálogo, com o lançamento dos intermediários Pixel 3a e 3a XL, e à presença em novos mercados, com a chegada dos dispositivos em mais três países.

“O Google continua a expandir o catálogo do Pixel e as vendas estão aumentando. Os envios em 2019 aumentaram 52% [na comparação] ano a ano e alcançaram o maior volume da história, com atuação forte nos EUA, Europa Oriental e Japão”, escreveu Jeronimo no Twitter, lembrando que ainda não é hora de celebrar. “Agora já vende mais que a OnePlus, mas ainda está longe de alcançar o top 10”, observou.


O total de unidades vendidas chegou a 7,2 milhões, contabilizando o Pixel 3, Pixel 3a e Pixel 4, além das variantes maiores de cada um. No entanto, as duas séries mais novas, lançadas de fato no ano passado, tiveram vendas mais fracas que o Pixel 3 nos dois primeiros trimestres após o lançamento.

Ou seja, a conclusão de Jeronimo parece explicar, realmente, o que aconteceu: aumento no catálogo, com o lançamento de dois dispositivos a mais no ano passado, mais a entrada em três novos mercados. Isso ajudou a aumentar o número total de vendas, mas ao comparar apenas o Pixel 4 com o Pixel 3, houve queda no total de unidades embarcadas.

Nada de comemoração

E para você ter uma ideia melhor de que não há nenhum tipo de celebração no Google com esses números, o analista da Techsponential Avi Greengart falou ao Android Central em maio que, apesar do investimento pesado, a linha Pixel não decolou. Os celulares não incomodaram o duopólio das gigantes Apple e Samsung no segmento topo de linha, e nem mesmo o Pixel 3a conseguiu muito sucesso fora dos EUA.

“Os Pixel não afundaram no mercado como o Microsoft Kin ou o Amazon Fire Phone, mas também não venderam especialmente bem”, explicou Greengart. “Os aparelhos foram elogiados por quem testou e permitiram ao Google experimentar novas tecnologias”, ponderou.

O Pixel 4a e o Pixel 5 estão praticamente confirmados para 2020, mas não há nenhuma garantia que o Google siga com o investimento em celulares próprios por muito mais tempo — o Pixel 4a XL, por exemplo, teria sido cancelado, apontam rumores. É esperar para ver, pois, até agora, apesar de serem competentes, os modelos não empolgaram de fato.

Fonte: Canaltech