Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.366,94
    -1.165,33 (-2,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Google vai parar rastrear usuários em apps para se adequar às regras do iOS

Rubens Eishima
·1 minuto de leitura

O Google anunciou em seu blog uma série de mudanças em aplicativos e serviços para se adequar às regras de privacidade do iOS. A principal alteração é o desligamento do sistema que monitora os padrões de uso do usuário, usado para apresentar publicidade personalizada no celular.

A alteração acontece às vésperas da entrada em vigor dos novos recursos de privacidade do iOS. O sistema operacional da Apple irá apresentar uma notificação em apps que usam o sistema de rastreamento do smartphone, que obrigará o usuário a concordar ou não com a coleta de dados pelo aplicativo.

No lugar das propagandas altamente personalizadas em seus apps, o Google vai passar a exibir anúncios mais genéricos, sem poder acessar todo o histórico de uso do aparelho. A publicação da empresa sugere que ela preferiu oferecer anúncios menos eficientes a assustar os usuários com um alerta de coleta de dados.

Dias contados: Google prometeu fornecer os detalhes de privacidade (Imagem: reprodução/Apple)
Dias contados: Google prometeu fornecer os detalhes de privacidade (Imagem: reprodução/Apple)

A empresa se comprometeu ainda a incluir os novos selos de privacidade em seus apps oferecidos na App Store, sem anunciar um prazo para isso. Desde 8 de dezembro, a informação sobre a coleta de dados passou a ser obrigatória nos aplicativos enviados para atualização na App Store, o que a empresa evitou sem lançar novas versões deles desde a data.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: