Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,87
    -0,41 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.709,10
    -6,70 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    50.228,52
    +1.955,60 (+4,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.014,06
    +25,96 (+2,63%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    12.618,00
    -63,75 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7745
    -0,0042 (-0,06%)
     

Google vai exibir informações sobre campanhas de vacinação contra COVID-19

Felipe Demartini
·3 minuto de leitura

O Google anunciou a adição de novas informações às pesquisas realizadas sobre a vacina do COVID-19. Em seus aplicativos de Mapas e Busca, assim como nas interfaces web, os usuários passarão a ver dados sobre os locais de vacinação e outras orientações pertinentes sobre as campanhas de aplicação, como os grupos que estão recebendo o imunizante ou a necessidade de agendamento antes de comparecer ao local.

Outras indicações envolvem detalhes sobre o funcionamentos dos postos em si, como a possibilidade de aplicações sem que o usuário precise sair do carro, em drive-thru, e dados sobre a distribuição regional e estadual de imunizantes. Além disso, a companhia também se colocou à disposição dos governos para que espaços abertos de suas propriedades, como estacionamentos, locais de convivência e outros locais de escritórios e data centers, também possam ser usados como pontos de vacinação.

Trata-se de uma expansão de painéis informativos que já estão aparecendo para usuários de todo o mundo que realizem pesquisas relacionadas à doença ou às vacinas do COVID-19. As adições também acompanham um movimento dos usuários, com as buscas por imunização e locais de aplicação nas proximidades tendo aumentado mais de cinco vezes desde o começo de 2021.

<em>Após aumento nas pesquisas sobre locais de vacinação, Google passará a exibir informações mais diretas sobre postos, fases e distribuição de imunizantes na região do usuário (Imagem: Divulgação/Google)</em>
Após aumento nas pesquisas sobre locais de vacinação, Google passará a exibir informações mais diretas sobre postos, fases e distribuição de imunizantes na região do usuário (Imagem: Divulgação/Google)

As informações começam a aparecer a longo das próximas semanas para quatro estados americanos — Arizona, Mississippi, Texas e Louisiana —, chegando ao restante dos Estados Unidos na sequência. Depois, entra o restante do mundo, de acordo com o andamento de campanhas locais e, também, da disponibilidade de informações, com novas datas precisas ainda não tendo sido anuncias pela companhia.

Segundo o Google, a disponibilização de informações também acompanha novos esforços de verificação de fatos e combate à desinformação, que também estarão disponíveis para usuários de todo o mundo. Por meio da busca e também do YouTube, os usuários que pesquisarem sobre o tema passarão a visualizar links e receberão dados de fontes confiáveis, como parte de uma iniciativa voltada ao combate contra as fake news relacionadas às vacinas.

O objetivo, afirma a empresa, é garantir que as doses cheguem ao máximo possível de pessoas, um ideal que também inclui um investimento de US$ 150 milhões na promoção do acesso à informação e distribuição igualitária de imunizantes. O montante faz parte de um programa de apoio a crises globais e contará com doações à Organização Mundial de Saúde, ao Centro de Controle de Doenças dos EUA e organizações não-governamentais, bem como agências oficiais de saúde ligadas a governos locais.

Por fim, a empresa também anunciou estar trabalhando com laboratórios, organizações de saúde e empresas de logística no uso de seus sistemas de cloud computing para agilizar a distribuição de imunizantes. Segundo o Google, a ideia é usar inteligência artificial para otimizar as operações, prever o comportamento do clima e do trânsito, além de organizar cronogramas relacionados a pacientes e registros de grupos que fazem parte do calendário de vacinação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: